Busca avançada
Ano de início
Entree

Estratégias de reversão dos efeitos deletérios da privação de sono sobre a memória: o sono de ondas lentas é importante?

Processo: 09/13080-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2010
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Deborah Suchecki
Beneficiário:Simone Marie Ota
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:98/14303-3 - Center for Sleep Studies, AP.CEPID
Assunto(s):Lítio   Sono   Memória (psicologia)   Oxibato de sódio

Resumo

Muitos estudos acerca do papel do sono têm indicado sua correlação com processos de aprendizagem e memória. A maioria tem focado principalmente no papel do sono REM nos processos mnemônicos. Porém, dados eletrofisiológicos e moleculares recentes também tem evidenciado a importância do sono de ondas lentas (SOL). Acredita-se ainda que não apenas cada fase, mas a seqüência ordenada de SOL e SP seja relevante para a consolidação. A seqüência ordenada desses ciclos pode ser prejudicada após a privação de sono paradoxal (PSP), pois os animais apresentam rebote de sono REM em detrimento do SOL. Pesquisas em nosso laboratório observaram que ratos privados de sono por 96h antes do treino apresentaram prejuízo no teste (24h após o treino) de esquiva inibitória por múltiplas tentativas (EIMT), apesar de o sono REM estar aumentado entre o treino e teste. Além disso, análises de correlação demonstraram que a quantidade de SOL estava diretamente correlacionada com o desempenho dos animais. Portanto o objetivo do trabalho é utilizar drogas que aumentem o SOL (lítio, gaboxadol e oxibato de sódio), impedindo o detrimento causado pelo rebote de SP e avaliar o desempenho de animais submetidos à tarefa de EIMT, assim como o padrão de sono pós-treino. Caso o prejuízo se dê pela diminuição de SOL, é esperado que as drogas que aumentam a quantidade de SOL revertam o prejuízo de memória observado em ratos privados de sono. (AU)