Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudos citogenéticos clássicos e moleculares em espécies do gênero Harttia (Siluriformes, Loricariidae), com enfoque no papel dos DNAs repetitivos na evolução cariotípica do grupo

Processo: 09/15741-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2010
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Pesquisador responsável:Orlando Moreira Filho
Beneficiário:Daniel Rodrigues Blanco
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):DNA satélite   Sequências repetitivas de ácido nucleico   Evolução cromossômica   Citogenética

Resumo

Dentre os siluriformes, Loricariidae é a família mais numerosa, com 716 espécies distribuídas entre 96 gêneros. É dividida em seis subfamílias: Lithogeninae, Neoplecostominae, Hypoptopomatinae, Loricariinae, Delturinae e Hypostominae. Harttia é um pequeno gênero da sufamília Loricariinae que abriga os peixes popularmente conhecidos como cascudos que apresentam o corpo alongado, nadadeira adiposa e quilha lateral do tronco ausente, nadadeira caudal emarginada e grandes placas ósseas circundando a papila anal. Habitam preferencialmente cabeceiras de rios e riachos e por não apresentarem hábitos migratórios formam pequenos isolados populacionais. Para este gênero são descritas dezenove espécies, sendo que dezesseis estão alocadas em bacias brasileiras, porém somente três delas: H. carvalhoi, H. kronei e H. loricariformis foram estudadas no tocante à citogenética, mostrando uma grande variação no número diplóide. Poucos dados referentes à localização e caracterização de sequências repetitivas neste grupo estão disponíveis na literatura. DNA satélites (satDNA) são sequências altamente repetitivas, dentro do genoma, organizadas dentro de arranjos longos ininterruptos em tandem de unidades mais ou menos bem definidas estas sequencias apresentam uma grande dinâmica evolutiva podendo, desta forma, promover informações valiosas para estudos microevolutivos, principalmente no caso de sequências espécie-específicas e/ou cromossomo específica assim como estudos filogenéticos. Considerando a grande variabilidade intra e interespecífica encontrada na macroestrutura cariotípica do gênero Harttia aliada à escassez de dados citogenéticos, um aprofundamento nos estudos referentes à citogenética clássica e molecular, enfocando o estudo de sequências de DNA repetitivos se faz relevante para um melhor entendimento da evolução cariotípica desse grupo de peixes.