Busca avançada
Ano de início
Entree

Ativação celular induzida por ArtinM: interferência da estrutura quaternária das diferentes formas recombinantes sobre funções de neutrófilos e interação com receptores glicosilados da superfície dessas células

Processo: 09/16146-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2010
Vigência (Término): 31 de outubro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunoquímica
Pesquisador responsável:Maria Cristina Roque Antunes Barreira
Beneficiário:Nerry Tatiana Cecilio
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/60642-2 - Efeitos biológicos e aplicações farmacêuticas de lectinas, AP.TEM
Assunto(s):Neutrófilos

Resumo

A lectina ArtinM, também conhecida como KM+ e artocarpina, é uma lectina ligante de D-manose obtida do extrato salino de sementes de Artocarpus integrifolia. Ela ativa neutrófilos e induz sua migração, tanto in vitro com in vivo (Santos-De-Oliveira, Dias-Baruffi et al., 1994). Já foi demonstrado que essa atividade relaciona-se com a propriedade de ArtinM de acelerar a regeneração de tecidos, como o epitélio córneo (Chahud, Ramalho et al., 2009). No entanto, a potencial aplicabilidade farmacêutica da lectina nativa estaria bastante comprometida se dependesse do uso da lectina purificada a partir do extrato de sementes, já que esse procedimento é caro, laborioso e proporciona baixo rendimento. Assim, a utilização de lectina recombinante é imprescindível para a viabilidade de qualquer projeto de uso de ArtinM em escala superior à exigida por um laboratório de investigação. Por outro lado, o uso de formas recombinantes de ArtinM, como as já obtidas por nosso grupo, exigem um trabalho extenso de caracterização biológica dessas moléculas. O presente projeto tem como objetivo estudar as atividades exercidas por diferentes formas de ArtinM recombinante, sobre neutrófilos, determinando, adicionalmente, os mecanismos envolvidos nessas atividades. A molécula de ArtinM, que não é glicosilada, constitui-se de cadeias protéicas de 16 kDa que se organizam como homotetrâmeros. Cada cadeia contém um domínio de reconhecimento de carboidrato (CRD) (Rosa, De Oliveira et al., 1999). Essa organização permite que a molécula estabeleça ligações concomitantes com receptores glicosilados da superfície celular, como CXCR2 (Pereira-Da-Silva, Moreno et al., 2006) e TLR2 (Coltri, Oliveira et al., 2008), e com componentes glicosilados da matriz extracelular, como laminina (Ganiko, Martins et al., 2005), viabilizando o movimento haptotático da célula (Ganiko, Martins et al., 1998). A ativação de neutrófilos induzida por ArtinM resulta em liberação de mediadores inflamatórios (LTB4, IL-8) e aumento das atividades efetoras do neutrófilo (fagocitose e morte de bactérias) (Toledo, Scwartz et al., 2009). A oligomerização da molécula recombinante, de acordo com resultados preliminares obtidos em nosso laboratório, pode variar de acordo com o sistema de expressão utilizado e é exigida para que a proteína recombinante reproduza algumas das atividades desempenhadas pela molécula nativa (tetramérica). Por essa razão, o presente projeto inclui a avaliação da interferência da estrutura quaternária das diferentes formas recombinantes de ArtinM sobre as atividades exercidas sobre neutrófilos. O projeto inclui ainda o refinamento da análise de especificidade das diferentes formas de ArtinM por estruturas variadas de glicanas, pela técnica de glycoarray. Esse refinamento ajudará a elucidar quais os possíveis açúcares contidos nos receptores glicosilados encontrados na superfície de neutrófilos podem ser reconhecidos por ArtinM. Os dados gerados contribuirão para o estudo de possíveis interações estabelecidas pelas diferentes formas de ArtinM com receptores do tipo Toll, para a dissecção das interações estabelecidas por ArtinM com receptores glicosilados da superfície de neutrófilos humanos e para elucidar os mecanismos pelos quais ArtinM desencadeia respostas funcionais por parte dessas células.Em decorrência, o papel indutor da ativação de neutrófilos exercida por ArtinM será melhor compreendido e novas perspectivas de potenciais aplicabilidades farmacêuticas dessa lectina serão abertas.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DA SILVA, THIAGO APARECIDO; ZORZETTO-FERNANDES, ANDRE L. V.; CECILIO, NERRY T.; SARDINHA-SILVA, ALINE; FERNANDES, FABRICIO FREITAS; ROQUE-BARREIRA, MARIA CRISTINA. CD14 is critical for TLR2-mediated M1 macrophage activation triggered by N-glycan recognition. SCIENTIFIC REPORTS, v. 7, AUG 1 2017. Citações Web of Science: 8.
CECILIO, NERRY TATIANA; CARVALHO, FERNANDA CAROLINE; LIU, YAN; MONCRIEFFE, MARTIN; DE ALMEIDA BURANELLO, PATRICIA ANDRESSA; ZORZETTO-FERNANDES, ANDRE LUIZ; DALLE LUCHE, DOUGLAS; HANNA, EBERT SEIXAS; SOARES, SANDRO GOMES; FEIZI, TEN; GAY, NICHOLAS J.; GOLDMAN, MARIA HELENA S.; ROQUE-BARREIRA, MARIA CRISTINA. Yeast expressed ArtinM shares structure, carbohydrate recognition, and biological effects with native ArtinM. International Journal of Biological Macromolecules, v. 82, p. 22-30, JAN 2016. Citações Web of Science: 5.
LIU, Y.; CECILIO, N. T.; CARVALHO, F. C.; ROQUE-BARREIRA, M. C.; FEIZI, T. Glycan microarray analysis of the carbohydrate-recognition specificity of native and recombinant forms of the lectin ArtinM. DATA IN BRIEF, v. 5, p. 1035-1047, DEC 2015. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.