Busca avançada
Ano de início
Entree

Urbanização da natureza: da autoprovisão de infraestruturas aos projetos de recuperação ambiental nos mananciais do sul da metrópole paulistana

Processo: 09/54237-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de abril de 2010
Vigência (Término): 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Tecnologia de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Maria Lucia Refinetti Rodrigues Martins
Beneficiário:Luciana Nicolau Ferrara
Instituição-sede: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Restauração ecológica   Habitação social   Mananciais   Região Sul   São Paulo

Resumo

Considerando o histórico da ocupação das áreas de proteção aos mananciais ao sul da RMSP, os decorrentes conflitos com o estado, suas leis, planos e programas, em contraposição com as soluções auto-construídas dos moradores das áreas de mananciais e a sua luta para a melhoria das condições de vida, a pesquisa pretende explicitar e debater as formas de apropriação da natureza e a produção do espaço urbano periférico no atual estágio do capitalismo no Brasil. Para isso, articulará o referencial teórico-crítico sócioambiental e urbano à pesquisa empírica, na qual as redes de infra-estruturas se mostram como um objeto que possibilita explicitar os conflitos acerca do processo de urbanização e a transformação da natureza segunda - aquela já transformada pelo homem, em seus diferentes níveis e dimensões, no contexto de metropolização. Nos loteamentos populares situados nas áreas de proteção aos mananciais, a restrição legal impediu a implantação de infra-estruturas, por serem estas entendidas como vetores de ocupação. A consolidação de grande área ocupada colocou em xeque esse modelo bem como provocou a revisão da legislação. E ainda, somada à reivindicação por melhorias pelos moradores, fez com que o poder público iniciasse as obras de urbanização e saneamento. Essas intervenções têm se ampliado desde o inaugural Programa Guarapiranga (1992) sem, no entanto, avançar em novas soluções ou tecnologias ambientais. Enquanto política pública, tais intervenções também não têm proporcionado solução aos problemas sociais, que acabam por aprofundar os problemas ambientais. O entendimento e o tratamento da questão ambiental são bastante diversos nos contextos de autoconstrução e de promoção pelo estado. Ela varia conforme as mediações e interesses em jogo. O que a presente pesquisa visa é compreender criticamente tais conflitos, no nível do cotidiano e do estado, de forma que a área de pesquisa em arquitetura e urbanismo possa contribuir para novas proposições urbano-ambientais, sejam elas teóricas ou práticas. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
FERRARA, Luciana Nicolau. Urbanização da natureza: da autoprovisão de infraestruturas aos projetos de recuperação ambiental nos mananciais do sul da metrópole paulistana. 2013. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Arquitetura e Urbanismo São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.