Busca avançada
Ano de início
Entree

Seleção de ingredientes ativos e desenvolvimento de novas formulações de iscas para o controle de formigas cortadeiras (Hymenoptera: Formicidae)

Processo: 09/17443-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2010
Vigência (Término): 30 de junho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Zoologia Aplicada
Pesquisador responsável:Maria Izabel Souza Camargo
Beneficiário:Fabiana Correa Bueno
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Formigas cortadeiras   Histologia animal   Respiração celular

Resumo

As formas atuais de controle de formigas cortadeiras apresentam apenas efeitos temporários e constitui-se numa das principais preocupações ecológicas devido aos efeitos maléficos causados pelos agrotóxicos. Como consequência, há um aumento em pesquisas que buscam substituir os agrotóxicos tradicionais ou otimizar o uso dos ingredientes ativos atuais, conhecendo-se melhor o modo de ação de cada um deles, a concentração mais adequada e a melhor forma de atingir o alvo. A maioria das estratégias de controle químico causa a morte das formigas por contato, o que não é suficiente para o controle da população de formigas numa determinada área. Entre as estratégias atuais destacam-se as iscas tóxicas por permitirem a ação do inseticida por ingestão. Porém, para que uma isca seja eficiente e economicamente viável, dentre outras características, é fundamental se conhecer a qualidade e a forma de ação dos ingredientes ativos. Atualmente, 95% do controle de formigas cortadeiras são realizados com o uso da sulfluramida, o que tem causado preocupação constante, pois esse ingrediente ativo está incluído entre os produtos altamente persistentes no ambiente e bioacumulativos, com possibilidade de ser banido. Portanto, novamente passou a ocorrer uma procura de novos compostos para o controle desses insetos. Na busca de novos ingredientes ativos para o controle de formigas cortadeiras, análises toxicológicas recentes foram realizadas utilizando vários ingredientes ativos empregados no controle de pragas em geral e os que se mostraram mais promissores para uso em iscas foram os que atuam na inibição da respiração celular. Contudo, apesar de haver inúmeros trabalhos avaliando a atividade tóxica, poucos relatam as alterações morfológicas provocadas nos órgãos desses insetos. Considerando que a metadologia de isca é a mais utilizada no controle de formigas cortadeiras e que os inseticidas responsáveis pela inibição da respiração celular são os que apresentam resultados satisfatórios, o presente trabalho tem por objetivo avaliar os efeitos de ingredientes ativos que possuem essa forma de ação em operárias de Atta sexdens rubropilosa, por meio de bioensaios toxicológicos e da análise morfológica da glândula pós-faríngea, ventrículo e túbulos de Malpighi, para o desenvolvimento posterior de novas formulações de iscas. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
BUENO, Fabiana Correa. Seleção de ingredientes ativos para o desenvolvimento de iscas tóxicas para o controle de formigas-cortadeiras (Hymenoptera: Formicidae). 2013. 74 f. Tese de Doutorado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Instituto de Biociências (Campus de Rio Claro)..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.