Busca avançada
Ano de início
Entree

Associação entre alterações eletroencefalográficas interictais, ressonância magnética e resultado cirúrgico de pacientes com Epilepsia de Lobo Temporal

Processo: 09/54551-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de março de 2010
Vigência (Término): 30 de abril de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Fernando Cendes
Beneficiário:Patrícia Horn Barbosa
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Hipocampo   Atrofia   Epilepsia do lobo temporal   Eletroencefalografia   Ressonância magnética

Resumo

A lateralização do foco epileptogênico durante avaliação pré-operatória é fundamental para o sucesso da cirurgia de Epilepsia. Desta forma nos pacientes com Atrofia Hipocampal Bilateral são realizados múltiplos registros eletroencefalográficos em vigília para identificar em que lado as descargas predominam ou ocorrem exclusivamente de modo a indicar tratamento cirúrgico. A falha deste pode estar relacionada às descargas que, em alguns casos, ocorrem de modo mais difuso, podendo ser observadas nas regiões adjacentes, ou à progressão da patologia no lado contralateral, sem alteração ao exame de imagem à análise visual. A quantificação e a identificação de padrões eletrográficos inter-ictais de pacientes controlados e refratários antes e após o tratamento cirúrgico poderá acrescentar ao conhecimento atual sobre a patogênese, tratamento e prognóstico dos pacientes com Epilepsia de Lobo Temporal Mesial. Desta forma, pretendemos revisar retrospectiva e individualmente os registros eletrográficos para quantificação das alterações epileptiformes de pacientes submetidos à cirurgia de Epilepsia. Será feita segmentação de hipocampos dos indivíduos para obtenção dos volumes hipocampais através da técnica de VBM, e desta forma estratificação entre os que têm ou não Atrofia Hipocampal e os que têm Atrofia Unilateral, Bilateral Simétrica e Bilateral Assimétrica. Investigaremos pelo menos sessenta pacientes, incluindo os com resultados cirúrgicos satisfatórios e insatisfatórios. Para análise de RM incluiremos também um grupo de pelo menos sessenta indivíduos normais, com distribuição de idade e gênero semelhante ao grupo de pacientes. (AU)