Busca avançada
Ano de início
Entree

Eficiência mastigatória após o tratamento da deformidade dentofacial

Processo: 09/17660-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2010
Vigência (Término): 30 de novembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Pesquisador responsável:Luciana Vitaliano Voi Trawitzki
Beneficiário:Melissa Nara de Carvalho Picinato Pirola
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Mastigação   Deformidades dentofaciais

Resumo

Indivíduos com deformidades dentofaciais apresentam alterações oclusais severas que podem provocar um prejuízo na eficiência mastigatória. A avaliação da eficiência mastigatória pode ser realizada pelo método colorimétrico, o qual tem aplicação rápida, simples, de baixo custo e é eficaz. O objetivo deste trabalho será analisar a eficiência mastigatória em indivíduos com deformidades dentofaciais antes da realização da cirurgia ortognática e após 6 meses, comparativamente a um grupo controle. O presente estudo foi aprovado pelo comitê de ética em pesquisa sob o processo nº 4420/2008. Participarão deste estudo 20 pacientes com deformidade dentofacial classe II e 20 pacientes com o diagnóstico de deformidade dentofacial classe III; todos com indicação para cirurgia ortognática, com a faixa etária entre 18 e 35 anos. Também participarão 30 voluntários, com a mesma faixa etária, portadores de dentição natural, sem alterações na morfologia da face ou na oclusão dentária, sem ausências dentárias, sem sinais ou sintomas de disfunção na articulação temporomandibular (ATM), os quais formarão o grupo controle. A avaliação do paciente com deformidade dentofacial será realizada em 2 momentos, sendo estes: no pré-operatório da cirurgia ortognática e após 6 meses da realização da cirurgia. Nos indivíduos sem a deformidade dentofacial, a eficiência mastigatória será analisada em um único momento. Será aplicado um questionário com questões referentes às dificuldades para mastigar, preferência mastigatória referida pelo participante, peso atual e altura; e também será feito um exame na cavidade oral com objetivo de determinar o padrão da oclusão dentária, presença de falhas dentárias, uso de próteses e aparelho ortodôntico. A eficiência mastigatória será avaliada por meio do método colorimétrico desenvolvido e empregado por Mestriner Jr (2002). Este método consiste em solicitar que cada indivíduo mastigue 2 cápsulas de beads habitualmente, 1 cápsula do lado direito e 1 do lado esquerdo, uma de cada vez, durante 20 segundos cronometrados, com um intervalo de 3 minutos entre cada cápsula. As cápsulas mastigadas serão enviadas posteriormente para análise em laboratório, sendo para cada cápsula mastigada, será obtido um valor em concentração de fuccina (mg/mL) que corresponde à eficiência mastigatória. Os valores de eficiência mastigatória serão comparados entre os pacientes, antes e após 6 meses de tratamento integrado, por meio do teste t pareado; já os valores de eficiência mastigatória entre os pacientes e o grupo controle, serão calculados por meio do teste t não pareado, para amostras independentes. Será utilizado o Programa Graph Pad InStat versão 3.0 for Windows 95, considerando as diferenças significativas P<0,05. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MELISSA NARA DE CARVALHO PICINATO-PIROLA; FRANCISCO VERÍSSIMO DE MELLO-FILHO; LUCIANA VITALIANO VOI TRAWITZKI. Chewing time and chewing strokes in different dentofacial deformities. J. Soc. Bras. Fonoaudiol., v. 24, n. 2, p. -, 2012.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.