Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização biológica e imunoquímica da peçonha da lagarta de Premolis semirufa, agente etiológico da Pararamose, doença ocupacional dos seringueiros da Amazônia

Processo: 09/54697-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de março de 2010
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunoquímica
Pesquisador responsável:Denise Vilarinho Tambourgi
Beneficiário:Isadora Maria Villas Boas Silva
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Venenos de origem animal   Citosina   Lepidoptera   Lagartas   Doenças reumáticas   Seringueiros   Amazônia

Resumo

A família Arctiidae, da ordem Lepidóptera, possui uma única espécie de importância médica, a Premolis semirufa, conhecida popularmente como Pararama. Esta habita plantações de seringueiras da região Amazônica sendo o quadro clínico, desencadeado pela penetração acidental das cerdas na pele, conhecido como paráramos. O contato com as cerdas, na maioria dos casos, induz imediata sensação pruriginosa intensa, seguida de sintomas cardinais de inflamação aguda, com duração de três a sete dias em caso de primeiro acidente; entretanto, o processo pode se tornar crônico e causar imobilidade articular, após diversos contatos. Até o presente, não existe tratamento específico para esta doença; contudo, corticosteróides têm sido empregados como medicação sintomática, a fim de minimizar ou impedir a instalação do quadro crônico. As manifestações clínicas da fase crônica do acidente com a P. semirufa tornam ímpar esta patogenia. Em experimentos, realizados durante o mestrado, foi possível analisar algumas atividades enzimáticas e biológicas dos extratos das cerdas da Premolis semirufa, e identificar intensa atividade gelatinolítica e proteolítica, sendo esta última, inibida, significantemente, pelo PMSF, inibidor de serinoproteinases. Além disso, observou-se diversidade de composição protéica, a presença de atividade hiaiuronidasica, ação sobre o sistema complemento, pela ativação das vias alternativa e das lectinas, hidrólise direta do componente C3 e indução da geração de anafilatoxinas em soro humano. Adicionalmente, o extrato promoveu intensa reação inflamatória no coxim plantar de camundongos injetados com a peçonha. Assim, os objetivos para o projeto de doutorado direto são reproduzir, em modelo experimental, a paráramos e caracterizar as citosinas e células envolvidas nesta patologia. Além disso, pretende-se aprofundar os estudos envolvendo o sistema complemento, avaliando os mecanismos de ativação das vias pelo extrato. (AU)