Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção de álcool de segunda geração a partir de pentoses por Pichia stipitis utilizando processo fermentativo extrativo a vácuo

Processo: 10/01606-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2010
Vigência (Término): 30 de abril de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Engenharia de Alimentos
Pesquisador responsável:Francisco Maugeri Filho
Beneficiário:Daniele Farias
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Processos bioquímicos   Bioetanol   Pichia stipitis   Fermentação

Resumo

A produção biotecnológica de etanol de segunda geração mediante o cultivo de Pichia stipidis em hidrolisados hemicelulósicos, obtidos a partir de resíduos agroindustriais é de grande interesse econômico. Isso porque, esse processo pode agregar valor a estes resíduos, substituir os combustíveis fósseis, além de promover um aproveitamento completo dos materiais. Somando-se a isso, a utilização de meios fermentativos com alta concentração de substrato é de grande interesse para a indústria, pois diminui de forma significativa o volume das dornas e da vinhaça. As grandes quantidades de etanol no meio consomem menos energia no processo de extração. Porém, esta alta concentração de etanol inibe o processo, surgindo necessidade do mesmo ser retirado do meio logo que é produzido. A utilização de técnicas de extração melhora o desempenho do processo. O uso do evaporador flash possibilita usar altas concentrações de açúcares, o que tem como consequência maior produção de etanol, reduzindo o custo da destilação. Diante disto, o objetivo do trabalho será desenvolver a produção de etanol de segunda geração em um processo fermentativo contínuo acoplado a um evaporador a vácuo tipo flash, a partir de fonte de carbono concentrada, proveniente de pentoses oriundas do bagaço hidrolizado enzimaticamente, enriquecido pela mistura com melaço de cana em processo utilizando alta concentração celular de P. stipitis. A razão do emprego desta tecnologia se deve à baixa tolerância do microrganismo ao etanol e à baixa produtividade. Espera-se com este sistema suprir estes inconvenientes, pois este processo possibilita operar com baixa concentração de etanol, mesmo trabalhando com mostos muito concentrados e com altas concentrações de microrganismo, o que possibilita maiores taxas de conversão. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
FARIAS, Daniele. Produção de etanol de segunda geração por Scheffersomyces stipitis a partir de pentoses em processo extrativo à vácuo. 2014. Tese de Doutorado - Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Engenharia de Alimentos.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.

Patente(s) depositada(s) como resultado deste projeto de pesquisa

PROCESSO E SISTEMA FERMENTATIVO INTEGRADO DE PRODUÇÃO E REMOÇÃO DE ETANOL DE SEGUNDA GERAÇÃO A PARTIR DE PENTOSES, E ETANOL ASSIM OBTIDO BR1020150067526 - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) . Francisco Maugeri Filho; Daniele Farias - 26 de março de 2015

PROCESS AND INTEGRATED FERMENTATION SYSTEM FOR THE PRODUCTION AND REMOVAL OF SECOND-GENERATED ETHANOL FROM PENTURES, AND ETHANOL SO OBTAINED PCT/BR2015/000189 - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) . Francisco Maugeri Filho; Daniele Farias - 10 de dezembro de 2015