Busca avançada
Ano de início
Entree

Modulação imunológica da relação mãe e filhote

Processo: 10/01855-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2010
Vigência (Término): 31 de julho de 2012
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Pesquisador responsável:Luciano Freitas Felicio
Beneficiário:Amanda Florentina Do Nascimento
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Ratos   Dopamina   Núcleo accumbens

Resumo

Em mamíferos, o conjunto de cuidados que a mãe oferece aos filhotes é denominado comportamento maternal (CM). Durante este período especial, a meta principal da fêmea é garantir a sobrevivência dela e de seus filhotes. Por outro lado, segundo Hart (1988), as alterações apresentadas por animais doentes, coletivamente denominadas de comportamento doentio, corresponderiam a um conjunto organizado de modificações fisiológicas e comportamentais. As infecções causadas pelo LPS durante o período de gestação podem causar doenças mentais, hemorragia intraventricular, necrose placentária, danos nos órgãos fetais, abortos espontâneos, dentre outra gama de problemas (HAVA et al., 2006), já a administração em período precoce da vida de ratos promove alterações na resposta exploratória da prole quando desafiados na idade adulta com a mesma endotoxina. Várias questões ainda permanecem por serem investigadas neste assunto. A primeira delas seria pertinente aos efeitos da doença diretamente no comportamento materno; outra seria sobre a relevância e força do drive maternal em diferentes períodos da lactação e o comportamento doentio; ainda, questiona-se as alterações imunológicas e comportamentais causadas na prole. Portanto, na tentativa de responder estas questões bem como outras que porventura surjam durante o desenvolvimento deste projeto, pretende-se estudar as interações entre o comportamento maternal de ratas e o comportamento doentio, e as alterações comportamentais e neuroimulógicas causadas pelo LPS na prole. Para tanto, pretende-se empregar o LPS, uma endotoxina derivada da parede de uma bactéria, como indutor de comportamento doentio em ratas lactantes em diferentes períodos da lactação. Serão avaliados o comportamento maternal e as alterações neuroimulógicas e comportamentais causadas na prole. Espera-se esclarecer, pelo menos em parte, as questões acima formuladas. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
NASCIMENTO, AMANDA; BERNARDI, MARIA; PECORARI, VANESSA; MASSOCO, CHRISTINA; FELICIO, LUCIANO. Temporal Analysis of Lipopolysaccharide-Induced Sickness Behavior in Virgin and Lactating Female Rats. NEUROIMMUNOMODULATION, v. 20, n. 6, p. 305-312, 2013. Citações Web of Science: 5.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
NASCIMENTO, Amanda Florentina Do. Modulação imunológica da relação mãe e filhote. 2012. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.