Busca avançada
Ano de início
Entree

Demanda e intensidade do uso de materiais basicos em economias recentemente industrializadas

Processo: 10/50239-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2010
Vigência (Término): 20 de março de 2011
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Economia - Crescimento, Flutuações e Planejamento Econômico
Pesquisador responsável:Marcelo Silva Pinho
Beneficiário:Daniela Tatiane dos Santos
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Bolsa de mercadorias

Resumo

Este projeto tem o objetivo de avaliar a evolução do dinamismo de longo prazo da demanda de materiais básicos de uso industrial, ocasionado pelo crescimento de alguns países asiáticos, notadamente a China. A hipótese subjacente é que a demanda de materiais pode variar segundo o nível de desenvolvimento econômico e que a redução da intensidade de uso dos materiais seria acompanhada de um aumento do peso do setor de serviços. Um dos possíveis efeitos do crescimento chinês sobre a economia brasileira parece ser a re-inserção na economia mundial por meio da oferta de commodities básicas, em virtude da elevada concentração em materiais com intensidades de uso geralmente reduzidas nos países industrializados. Apesar dos fortes efeitos dinamizadores que o crescimento da demanda desses materiais tem exercido neste início de século sobre várias economias produtoras desses bens, permanece a interrogação sobre a continuidade no longo prazo desse movimento, já que a experiência histórica dos países mais avançados aponta a perspectiva de diminuição da intensidade de uso de alguns materiais, como resultado de inovações tecnológicas e modificações nos padrões de consumo. Cabe, portanto, avaliar se, em um horizonte temporal mais largo, tal redução pode difundir-se através das economias do Leste Asiático e limitar o dinamismo cuja inserção internacional seja especializada na oferta desses materiais. Para isso, a metodologia da pesquisa projeta revisões da literatura sobre a teoria do desenvolvimento e consumo de materiais em países com graus diferenciados de industrialização. Ademais, uma pesquisa empírica permitirá compor um quadro de informações quantitativas sobre um conjunto de materiais, a saber, aço, alumínio, cimento e papel e papelão e que servirá de subsídio para a construção de indicadores de intensidade de uso. (AU)