Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise dos mecanismos envolvidos na destruição tecidual periodontal em ratos obesos e obesos diabéticos com doença periodontal experimental

Processo: 10/02558-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2010
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Dagmar Ruth Stach - Machado
Beneficiário:Henrique de Oliveira Bianchi
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Citocinas   Metaloproteinases da matriz   Receptor ativador de fator nuclear kappa-B   Doenças periodontais   Inflamação   Diabetes mellitus   Obesidade

Resumo

A doença periodontal caracteriza um grupo de lesões nos tecidos que rodeiam e suportam os dentes em seus alvéolos, podendo resultar na perda dentária. O principal agente etiológico da doença periodontal é a placa bacteriana constituída predominantemente por microrganismos gram-negativos anaeróbicos, mas é a resposta do hospedeiro que determina a susceptibilidade à doença, uma vez que existe um delicado equilíbrio entre os microrganismos da placa e a resposta do mesmo. Embora a resposta do hospedeiro tenha por objetivo ser protetora, ela inicia uma cascata de eventos que pode gerar desequilíbrio de substâncias liberadas, o que caracteriza o aspecto patológico de degradação da matriz extracelular e reabsorção óssea dos tecidos periodontais. A degradação da matriz extracelular é mediada por proteases como as metaloproteinases de matriz (MMPs), sendo que a regulação de sua produção e atividade é essencial para a homeostase da matriz extracelular. Já reabsorção óssea é um efeito direto do aumento da osteoclastogênese, sendo o ligante do fator nuclear kappa B (RANKL) um grande responsável pela diferenciação osteoclástica, em contrabalanço ao seu inibidor solúvel, a osteoprotegerina (OPG). Ambos mediadores da destruição tecidual são mais expressos em condições inflamatórias, como encontrada na doença periodontal. Em paralelo, tem-se sugerido que a obesidade predispõe uma série de co-morbidades, em particular a doença periodontal. Isso se deve ao fato do tecido adiposo secretar várias citocinas e hormônios que estão envolvidos nos processos inflamatórios, apontando os caminhos semelhantes envolvidos na fisiopatologia da obesidade e periodontite. O Diabetes Mellitus também é um agravante de grande importância para o desenvolvimento, progressão e severidade da doença periodontal, já que indivíduos com diabetes têm uma resposta imune deficiente e não conseguem eliminar os microrganismos patogênicos, perpetuando o processo inflamatório. Nesse sentido, esse projeto visa estudar a influência da obesidade e diabetes tipo 2 nas alterações gênicas e proteicas associadas à progressão e cronificação da doença periodontal experimental em ratos, de modo a tentar elucidar a relação entre essas patologias. Para tal, será analisada a expressão gênica de MMPs envolvidas na lesão tecidual, RANKL e seus inibidores, assim como, a expressão gênica e proteica das principais citocinas envolvidas na doença periodontal.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
BIANCHI, Henrique de Oliveira. Análise dos mecanismos envolvidos na destruição tecidual periodontal em ratos obesos com doença periodontal experimental. 2012. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Biologia.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.