Busca avançada
Ano de início
Entree

Intuição, dedução e método na filosofia primeira de Descartes

Processo: 10/02337-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2010
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia - História da Filosofia
Pesquisador responsável:Carlos Alberto Ribeiro de Moura
Beneficiário:Monique Vivian Mendes Guedes
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Intuição   Raciocínio dedutivo e indutivo   Aristotelismo   Conhecimento

Resumo

Buscamos, em nossa pesquisa, extrair da variabilidade dos exemplos práticos do método na ciência cartesiana uma caracterização menos rígida das operações do entendimento, intuição e dedução, a fim de desnaturalizar uma interpretação que se sedimentou ao longo dos estudos da teoria cartesiana do conhecimento. A alegação por Descartes da unidade da ciência como tributária da unidade da sabedoria bem como a formulação abstrata dos preceitos do método, condicionaram uma caracterização rígida destas operações que não considera sua singularidade em casos da matemática e, sobretudo, na filosofia primeira. É nosso propósito, então, mostrar que tais domínios exigem uma reformulação da caracterização das operações intelectuais, de modo que se perceba claramente que elas não reproduzem o modelo assumido no aristotelismo. (AU)