Busca avançada
Ano de início
Entree

Taxa de mineralização (amonificação) bruta de nitrogênio em solos cultivados com cana-de-açúcar

Processo: 10/02664-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2010
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Paulo Cesar Ocheuze Trivelin
Beneficiário:Murilo Impulcetto Monteiro de Moraes
Instituição-sede: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Nitrogênio   Mineralização

Resumo

Os fertilizantes e defensivos agrícolas têm sido alvos freqüentes de críticas quando o assunto é o custo de produção, devido sua elevação, seja no setor sucroalcooleiro ou em outras culturas. Como cerca de 50% da responsabilidade pelo aumento de produtividade agrícola se deve aos fertilizantes, e considerando o papel preponderante do N na agricultura, o adequado suprimento e uso dos fertilizantes nitrogenados se tornam primordial para que o país possa se tornar um grande produtor agrícola mundial. A ciclagem do nitrogênio apresenta uma dinâmica complexa, pelas múltiplas transformações e por sua mobilidade no sistema solo-planta-atmosfera. Em virtude disto, os fertilizantes nitrogenados aplicados ao solo passam por uma série de transformações químicas e microbianas, que podem resultar em perdas de N dos agrossistemas. A maior parte deste nutriente nos solos ocorre como componente da matéria orgânica (MO), não diretamente disponível para as plantas. O estudo das taxas de conversão do ciclo interno de nitrogênio (mineralização, imobilização e nitrificação) é fundamental, pois essas taxas têm efeito direto sobre a produtividade primária e da qualidade ambiental de um agroecossistema. A mineralização é dependente de fatores ambientais como a temperatura, umidade, aeração e, principalmente da composição química destes restos culturais, especialmente da relação C/N, teores de lignina, celulose, hemicelulose e polifenóis. Poucos são os trabalhos que determinam a taxa de mineralização bruta e a taxa de consumo de NH4+, ou seja, trabalhos que medem a conversão direta de N-orgânico em NH4+ e seu posterior consumo pelos vários processos que são atuantes no ciclo biogeoquímico do N. A técnica de diluição do isótopo 15N é a única ferramenta disponível para estimar os fluxos brutos de N independente dos processos que consomem NH4+, razão pela qual vem sendo usada intensamente. Esta técnica é baseada no declínio da abundância de 15N no"pool" de NH4+ marcado inicialmente com 15N, pelo 14NH4+ que provem da mineralização da matéria orgânica. Assim, a estimativa de mineralização pode ser utilizada para ajustar as recomendações da adubação nitrogenada, usando a relação entre a mineralização bruta, teor de água no solo e temperatura. Estes valores diários somados irão dar uma estimativa da quantidade de nitrogênio mineralizado nas camadas de solo para a cultura da cana-de-açúcar, levando-se em conta a temperatura e diferentes umidades.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
MORAES, Murilo Impulcetto Monteiro de. Mineralização bruta (amonificação) de nitrogênio em solos cultivados com cana-de-açúcar. 2012. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Centro de Energia Nuclear na Agricultura Piracicaba.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.