Busca avançada
Ano de início
Entree

Biomonitoramento das emissões de uma refinaria de petróleo em Cubatão, SP, com Psidium guajava 'Paluma': fotossíntese, crescimento e sintomas foliares visíveis

Processo: 10/03060-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2010
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Regina Maria de Moraes
Beneficiário:Simone Ferreira da Silva
Instituição-sede: Instituto de Botânica. Secretaria do Meio Ambiente (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Poluição do ar   Crescimento vegetal   Fotossíntese

Resumo

A Floresta Atlântica situada na região da Serra do Mar em Cubatão, São Paulo, é afetada por diversos poluentes, como óxidos de enxofre, óxidos de nitrogênio e materiais particulados com composição variada. Esses poluentes são emitidos pelas várias indústrias existentes no local, dentre elas, a Refinaria Presidente Bernardes, cujo processo de obtenção de energia utiliza a queima de óleo em caldeiras. Este modelo está sendo substituído por um processo tecnologicamente mais moderno, que deve resultar numa produção de energia mais limpa, portanto, é esperada uma redução dos níveis de contaminação atmosférica no entorno da refinaria, principalmente de dióxido de enxofre (SO2), poluente que atualmente causa o maior impacto na vegetação do entorno. A queima de gás natural, por outro lado, pode aumentar a emissão de compostos orgânicos voláteis, que são precursores do ozônio (O3). Hoje em dia, as concentrações de O3 na região não são altas, para verificar se elas não aumentarão a níveis fitotóxicos será implantado um projeto de biomonitoramento no local durante a fase de troca do sistema de geração de energia. Plantas jovens de Psidium guajava 'Paluma', espécie arbórea sensível ao O3 que ocorre nesse trecho da floresta Atlântica, serão utilizadas na avaliação de possíveis alterações na qualidade do ar. Elas serão expostas durante o período de um ano em seis pontos experimentais distribuídos no entorno da refinaria (em três altitudes diferentes na estrada do Caminho do Mar, que fica atrás da refinaria e recebe os ventos que passam por ela, um no centro de Cubatão, um ao lado na refinaria ao nível do mar, e um em uma região ao abrigo dos ventos, uma área mais protegida da poluição no Vale do Rio Pilões), antes e após a mudança do processo de obtenção de energia.Além desse estudo em que as plantas serão expostas diretamente ao ambiente do entorno da refinaria, será realizado também um experimento semi-controlado, no qual as plantas serão mantidas em câmaras de topo aberto, sendo um conjunto delas ventilado com o ar ambiente e outro, com ar filtrado, portanto, com concentrações reduzidas de poluentes. Todas as plantas serão avaliadas quanto à fotossíntese, crescimento e manifestação de sintomas foliares visíveis, buscando avaliar possíveis alterações em suas respostas à contaminação atmosférica local. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SILVA, SIMONE F.; MEIRELLES, SERGIO T.; MORAES, REGINA M. The guava tree as bioindicator during the process of fuel replacement of an oil refinery. ECOTOXICOLOGY AND ENVIRONMENTAL SAFETY, v. 91, p. 39-45, MAY 1 2013. Citações Web of Science: 6.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.