Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise comparativa da distribuição dos torques articulares do membro inferior na corrida em adultos e idosos corredores

Processo: 10/02878-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2010
Vigência (Término): 31 de outubro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Marcos Duarte
Beneficiário:Cristina Porto Alves Alcantara
Instituição-sede: Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas (CECS). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):11/22142-6 - Avaliação biomecânica da corrida: estudo multicêntrico para compreensão do movimento com implicação para prevenção de lesão e melhora do desempenho, BE.EP.MS
Assunto(s):Locomoção   Idosos   Controle motor

Resumo

Com o aumento da preocupação de uma qualidade de vida, houve um aumento nas pesquisas sobre atividades físicas tanto em adultos jovens como em idosos. A corrida de rua foi uma das atividades que teve o maior numero de adeptos entre a população idosa. Em um estudo conduzido por nosso grupo com idosos corredores (Fukuchi, Duarte 2008), a principal diferença observada pela primeira vez foi que idosos apresentam uma maior abdução do pé (pés rodados para fora) na corrida do que adultos jovens. Esta alteração tem sido observada nos idosos em geral durante o andar, e identificada como um mecanismo protetor para não sobrecarregar o compartimento medial do joelho. É também sabido que idosos apresentam uma redistribuição dos esforços articulares nos membros inferiores durante o andar em comparação com adultos jovens. No entanto, não é conhecido a relação entre o padrão de movimento, especificamente a abdução do pé, durante a corrida por idosos com a carga mecânica no joelho e nem o efeito da prática de corrida sobre esta relação e sobre os esforços articulares. Com esse projeto nós pretendemos agora compreender porque deste padrão alterado em idosos durante a corrida, verificar se este padrão também está presente no andar e na postura parada. Nossas hipóteses são que a estratégia de maior abdução do pé esteja presente em todas as tarefas motoras e que o uso desta estratégia está relacionada com a integridade do joelho, mesmo considerando idosos altamente ativos. Estes achados irão contribuir para compreender melhor os benefícios da prática de corrida e adaptações desenvolvidas pelos idosos corredores e desta forma contribuir para a prescrição desta atividade para os idosos.Esse projeto é parte de um projeto financiado pela FAPESP intitulado, "Controle do Equilíbrio e Movimento em Adultos Jovens e Idosos Sedentários e Corredores" (2008/10461 -7) sobre coordenação do Prof. Dr. Marcos Duarte.