Busca avançada
Ano de início
Entree

A Casa de Vidro: reflexos e refrações da violência no Brasil.

Processo: 10/03729-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2010
Vigência (Término): 31 de agosto de 2012
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras - Teoria Literária
Pesquisador responsável:Márcio Orlando Seligmann-Silva
Beneficiário:Natália Pires Tiso de Melo
Instituição-sede: Instituto de Estudos da Linguagem (IEL). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Ditadura   Violência   Testemunho   Literatura

Resumo

O conjunto de histórias intitulado A Casa de Vidro, escrito pelo mineiro Ivan Angelo, foi publicado no emblemático ano 1979. Como ocorre com outros documentos históricos do período, de antemão o livro desperta nos leitores a esperança de encontrar um reflexo, ainda que borrado, dos "anos de chumbo" e da subseqüente "abertura política" no Brasil. Ao contrário do que se espera, no entanto, a maioria dos contos narram violências do cotidiano urbano, e não a violência repressiva - atrelada ao poder do Estado.Assim, interessa-nos investigar, à luz da teorização do "teor testemunhal" na produção cultural, a representação da violência nos contos d'A Casa de Vidro. Busca-se apreender quais os tipos de violência retratados - suas relações com os poderes - e como elas são estetizadas. Numa teia mais ampla, as representações do livro serão relacionadas a outros discursos acerca da violência, sejam eles literários, cinematográficos, históricos, filosóficos ou jornalísticos, apreendendo pontos de contato que auxiliem na conceitualização da violência.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
MELO, Natália Pires Tiso de. A Casa de vidro : reflexos e refrações da violência no Brasil. 2013. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Estudos da Linguagem.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.