Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação da mortalidade materna em Ribeirão Preto - SP: fator de ajuste e correção

Processo: 10/04162-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2010
Vigência (Término): 31 de julho de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem - Enfermagem de Saúde Pública
Pesquisador responsável:Flávia Gomes-Sponholz
Beneficiário:Mariana Gil Furlanetti
Instituição-sede: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Saúde da mulher   Mortalidade materna

Resumo

A mortalidade materna, no mundo todo, é utilizada como parâmetro para avaliar a qualidade do serviço de saúde oferecido à população. Este indicador reflete o acesso e a qualidade da assistência recebida pela mulher durante o ciclo gravídico-puerperal, bem como as condições de vida da população. Sendo assim, uma alta taxa de mortalidade implica que o sistema de saúde não funciona adequadamente. Porém, tem sido um grande desafio quantificar as reais taxas de mortalidade materna devido à subnotificação e também gerar ações para redução dessas mortes já que os seus determinantes precisam ser identificados, indo além de sua simples quantificação. A taxa de mortalidade materna fica subestimada quando calculada com base apenas nas mortes informadas por meio das declarações de óbito, os dados oficiais, devido a erros no preenchimento e omissão de informação relativa ao estado gravídico-puerperal da mulher. Devido a não fidedignidade dos dados oficiais são necessárias outras fontes de investigação para elucidar todos os casos, possibilitando identificar o perfil de mortalidade de mulheres e planejar ações para redução da morbidade e mortalidade. Na possibilidade de ocorrer subnotificação das estatísticas oficiais de morte materna no município de Ribeirão Preto e da necessidade de investigar as mortes maternas mascaradas ocorridas, foi proposto este estudo, o qual tem por objetivos estimar um fator de ajuste para os dados oficiais, bem como a razão de mortalidade materna corrigida para o município de Ribeirão Preto no período de 2007 a 2010. Complementarmente identificar as causas básicas que ocultavam os óbitos maternos subnotificados e identificar o perfil sócio-demográfico das mulheres que foram a óbito. O estudo será descritivo exploratório, no qual investigaremos todos os óbitos de mulheres em idade fértil, de 10 a 49 anos, residentes no município de Ribeirão Preto. As declarações de óbitos serão obtidas pelo Comitê Municipal de Mortalidade Materna para análise do preenchimento. A partir dos dados oficiais classificaremos as mortes em maternas declaradas, não maternas e presumíveis, as últimas serão investigadas seguindo o método RAMOS com visita domiciliar, revisão de prontuários hospitalares e laudos do Serviço de Verificação de Óbito e Instituto Médico Legal. Para a investigação utilizaremos os instrumentos de coleta de dados oficiais, os quais constam no Manual dos comitês de mortalidade materna (2007). Se forem verificadas novas mortes maternas serão acrescidas às mortes maternas declaradas anteriormente para estimar o fator de ajuste e a Razão de Mortalidade Materna. A investigação possibilitará conhecer as causas básicas de morte ocultadas e traçar o perfil sócio-demográfico das mulheres. Conhecendo-se a população vulnerável e as causas reais dos óbitos oferecemos subsídios aos programas de redução da mortalidade materna. E tendo-se a razão de mortalidade materna corrigida para o município obteremos dados mais confiáveis para planejar ações.Palavras-chave: Mortalidade materna, Subnotificação, Fator de correção

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
FURLANETTI, Mariana Gil. Estudo de mortalidade de mulheres em idade reprodutiva no município de Ribeirão Preto, Estado de São Paulo, Brasil. 2012. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.