Busca avançada
Ano de início
Entree

Qualidade de Sono em Crianças e Adolescentes Infectados pelo Vírus da Imunodeficiência Humana.

Processo: 10/04217-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2010
Vigência (Término): 31 de agosto de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Marcos Tadeu Nolasco da Silva
Beneficiário:Carina Caires Gazini Sobrino
Instituição-sede: Hospital de Clínicas (HC). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Crianças   AIDS   Sono   HIV   Distúrbios do sono

Resumo

A boa qualidade do sono é fator indispensável para o crescimento saudável de um indivíduo, porque é neste momento que determinados hormônios, como o do crescimento, apresentam sua maior liberação e atuação. Dormir também é imprescindível para o descanso do corpo e do cérebro, o que leva a um melhor aprendizado e desenvolvimento.Crianças infectadas pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) podem apresentar sérios prejuízos emocionais, sociais e de saúde, incluindo os distúrbios do sono. Com este projeto objetiva-se estudar e avaliar a qualidade do sono de adolescentes portadores de HIV.A amostra deste projeto será composta por todos as crianças e adolescentes, de ambos os gêneros, com faixa etária de 10 a 20 anos (aproximadamente 120 pacientes), com infecção pelo HIV, seguidas no Ambulatório de Imunodeficiência Pediátrica do Hospital das Clínicas da UNICAMP. O grupo controle será composto pelo mesmo número de crianças e adolescentes saudáveis, de ambos os gêneros, com idade e indicadores sociais equivalentes, matriculadas em escola pública no município de Campinas. A metodologia para tal estudo constará de Escala de Distúrbios de Sono em Crianças (SDSC), Questionário de Características do Sono na Infância de Reimão e Lefèvre (QRL), Questionário Genérico sobre Qualidade de Vida Pediátrica (PedsQL 4.0) e Roteiro de Entrevista. Espera-se que as crianças e os adolescentes portadores do vírus da imunodeficiência humana, em decorrência dos agravos clínicos, sociais e ambientais associados à infecção e os efeitos adversos dos anti-retrovirais possam apresentar um maior acometimento de alterações do sono do que a população pediátrica geral. Assim, com esse estudo, pretendemos contribuir para o direcionamento de ações preventivas e, com isso, proporcionar uma melhor qualidade de vida para essa população.