Busca avançada
Ano de início
Entree

Reparo por excisao de nucleotideos e remocao de danos oxidativos no material genetico de fibrobalstos humanos

Processo: 10/50474-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2010
Vigência (Término): 30 de junho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Pesquisador responsável:Carlos Frederico Martins Menck
Beneficiário:Letícia Koch Lerner
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/52417-7 - Respostas celulares a lesões no genoma, AP.TEM
Assunto(s):Azul de metileno   Síndrome de Cockayne

Resumo

Os pacientes que apresentam as síndromes recessivas raras Xeroderma Pigmentosum (XP), tricotiodistrofia (TTD), Síndrome de Cockayne (CS) e síndrome cérebro-óculo-facio-esquelética (COFS) possuem mutações em algum dos 11 genes relacionados ao NER e à transcrição basal. Os pacientes XP apresentam risco elevado de desenvolvimento de câncer de pele. Muitos pacientes apresentam problemas no desenvolvimento físico e mental, além de degeneração neurológica progressiva. As neuropatologias não estão associadas à exposição solar, mas sim provavelmente a problemas no reparo de danos oxidativos no DNA das células nervosas. Diversos trabalhos mostraram indícios do envolvimento de NER no reparo desses danos oxidativos, o qual anteriormente pensava-se serem reparados pelo Reparo por Excisão de Base (BER), além de potenciais interações entre os processos de NER e BER. Os objetivos deste trabalho são estudar o comportamento de células (fibroblastos humanos) deficientes em NER com genótipos diferentes (XPD, XPD/CS e XPD/TTD, XPA e XPC, normais e complementadas) em resposta ao estresse oxidativo induzido pelo tratamento com azul de metileno (MB) e luz, através de ensaios imunológicos e Cometa para detecção de danos, e ensaios de sobrevivência celular (XTT e sobrevivência clonogênica) para a verificação das taxas de sobrevivência, apoptose e presença de reparo. Espera-se, com os resultados, uma melhor compreensão do envolvimento de NER no reparo de danos oxidativos. Além disso, para verificar possíveis interações entre as vias de NER e BER, serão utilizados vetores lentivirais para o silenciamento de genes de BER (OGG1 e DNA pol) nas células deficientes em NER, submetidas ao mesmo tratamento com MB e luz. (AU)