Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do treinamento físico sobre a expressão da proteína TRB3 e sinalização da insulina em tecido hepático de camundongos diabéticos

Processo: 10/04290-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2010
Vigência (Término): 31 de março de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:José Rodrigo Pauli
Beneficiário:Rodolfo Marinho
Instituição-sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Assunto(s):Diabetes mellitus   Resistência à insulina   Obesidade   Treinamento físico

Resumo

O prejuízo na captação de glicose estimulada por insulina no músculo constitui-se um defeito crucial para o estabelecimento de intolerância à glicose e diabetes do tipo 2. Quando instalada a doença, verifica-se aumento da produção hepática de glicose, que piora em proporção à gravidade da hiperglicemia. A TRB3 (a mammalian homolog of Drosophila Tribbles) surge como uma importante proteína de ação negativa sobre a via de sinalização da insulina se ligando diretamente a Akt em situação de obesidade e diabetes. Por outro lado, o exercício físico pode ter efeitos benéficos na ação da insulina em estados de resistência à insulina. Porém, a literatura é carente de estudos analisando os efeitos moleculares do treinamento físico sobre a sinalização da insulina em tecido hepático. Este estudo pretende abordar os mecanismos moleculares de ação do treinamento físico sobre a proteína TRB3 e sinalização da insulina em tecido hepático de camundongos diabéticos. Serão utilizados camundongos Swiss com seis semanas de vida. Os animais serão alocados em gaiolas individuais e receberão água e dois tipos de dieta: ração padrão para roedores (C) ou dieta hiperlipidica (DHL) durante o período experimental, ad libitum. Os camundongos serão expostos a ciclos de 12 horas claro e 12 horas escuro e temperatura de 20ºC e 22ºC. Inicialmente um grupo de animais (n=6) receberá dieta padrão e outro grupo de animais (n=18) receberá DHL por 12 semanas. Serão considerados diabéticos os camundongos com glicemia superior a 180 mg/dl. Em seguida os animais serão distribuídos em três grupos, a saber: Grupo 1, seis camundongos controles (n=6) permaneceram em dieta padrão (8 semanas), (C). Grupo 2: seis camundongos sedentários (n=6) permanecerão em DHL por 8 semanas (S-DHL) e Grupo 3: Doze camundongos (n=12) permanecerão em dieta hiperlipidica por 8 semanas e serão submetidos a um protocolo de treinamento físico de natação no mesmo período (T-DHL). O treinamento físico consistirá de natação realizado em tanques cilíndricos de diâmetro interno de 60 cm e profundidade de 100 cm, com temperatura da água em 34 ± 1 °C. A sessão de exercício será de 1 hora, cinco vezes por semana, com sobrecarga adicional equivalente a 5% do peso corporal do animal na semana, presa a cauda. O treinamento físico terá início concomitantemente ao início da oferta da dieta hiperlipidica e terá duração de 8 semanas. Uma semana antes do sacrifício será realizado o teste de tolerância à insulina intraperitoneal (TTIip) para avaliação da sensibilidade periférica à insulina. O teste será realizado 16, 24, 36 e 48 horas após a última sessão de exercício. A partir dos resultados deste teste, é que será determinado o melhor tempo de extração dos tecidos para avaliação das proteínas de interesse. A sensibilidade à insulina será realizada respeitando um intervalo de 48 horas entre cada TTIip. Ao final do período experimental os camundongos serão anestesiados através da administração intraperitoneal de tiopental sódico (15mg/kg). A cavidade abdominal será aberta, e após localização da veia porta 0,2 ml de salina ou insulina (10-6 mol/l) será injetada. Amostras do fígado serão retiradas para posterior análise das proteínas através dos métodos de imunoblot e imunoprecipitação. Os anticorpos utilizados para imunoprecipitação serão TRB3 e Akt. Os anticorpos utilizados para o imunoblot serão anti-Akt, anti-phospho-serina Akt (Ser473), anti-FoxO1, anti-TRB3, anti-IR, anti-IRS1, anti-IRS-2, anti-PEPCK, anti-G-6-Pase, anti-phospho-FoxO1. Os resultados serão expressos como média ± erro padrão da média. Quando comparado dois grupos, será utilizado teste t de Student para dados não pareados. Quando necessário será utilizada análise de variância, seguida de teste para comparação múltipla de médias. Será adotado o nível de significância p<0,05.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MARINHO, R.; ROPELLE, E. R.; CINTRA, D. E.; DE SOUZA, C. T.; DA SILVA, A. S. R.; BERTOLI, F. C.; COLANTONIO, E.; D'ALMEIDA, V.; PAULI, J. R. Endurance exercise training increases APPL1 expression and improves insulin signaling in the hepatic tissue of diet-induced obese mice, independently of weight loss. Journal of Cellular Physiology, v. 227, n. 7, p. 2917-2926, JUL 2012. Citações Web of Science: 38.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.