Busca avançada
Ano de início
Entree

Distúrbios respiratórios do sono na fase aguda de acidente vascular cerebral isquêmico

Processo: 10/04795-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2010
Vigência (Término): 31 de agosto de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:João Pereira Leite
Beneficiário:Millene Rodrigues Camilo
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Neurologia

Resumo

Distúrbios respiratórios do sono e doenças cerebrovasculares têm elevada prevalência em todo o mundo. Existem evidências clínicas e epidemiológicas crescentes de uma forte relação de causalidade entre ambos. Uma melhor compreensão dessa interação pode resultar em avanços no tratamento e prevenção das duas condições, com repercussões populacionais.Acidente vascular cerebral (AVC) é a segunda causa de morte e a principal causa de invalidez nos adultos em todo o mundo. No Brasil, as doenças cerebrovasculares são as principais causas de mortalidade. O acidente vascular cerebral isquêmico (AVCI) é responsável por 85% dos casos de AVC, enquanto o hemorrágico (AVCH) por 15%.A síndrome da apnéia obstrutiva do sono (SAOS) afeta cerca de 2 a 5% da população e é freqüente em pacientes com doença cerebrovascular. Estudos recentes encontraram uma freqüência de 50 a 70% de SAOS na fase aguda de AVC, sugerindo que seja um fator de risco importante para esse evento vascular. Ademais, a SAOS tem sido associada a um estado pró-trombótico e pró-inflamatório. Entretanto, ainda não foram, devidamente, esclarecidas a repercussão clínica dos episódios de apnéia do sono em pacientes com AVC, e os mecanismos fisiopatológicos de sua interação com a recanalização arterial pós-AVC. No presente estudo, objetivamos: avaliar a possível associação da apnéia do sono com deterioração neurológica precoce, evolução clínica em 3 e 6 meses de pacientes com AVCI agudo; avaliar as alterações metabólicas e marcadores de stress oxidativo relacionados aos episódios de apnéia do sono, correlacionando estas alterações com ocorrência de recanalização arterial, transformação hemorrágica e com a evolução clínica dos pacientes.Avaliaremos prospectivamente 40 pacientes adultos consecutivos com o primeiro e único evento cerebrovascular agudo. Na primeira noite após o ictus vascular, todos os pacientes serão submetidos a exame de polissonografia (PSG). Nestes pacientes, a gravidade da apnéia obstrutiva do sono será correlacionada com a evolucão clínica, com os achados de neuroimagem (recanalização arterial, presença de transformação hemorrágica) e com as alterações nos biomarcadores séricos: metaloproteinase-9, TIMP-1, dímero-d, Trombina, Fibrinogênio, Interleucina-6, S100², alfa-2 antiplasmina. O trabalho será desenvolvido na Unidade de Emergência do HCFMRP-USP e os dados coletados serão avaliados de forma cega por médicos do setor de Neurofisiologia e Radiologia da mesma instituição. Pacientes serão reavaliados com aplicação de escalas padronizadas no Ambulatório de Neurologia do HCFMRP-USP. Por fim, será feita a análise estatística das informações obtidas.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CAMILO, MILLENE R.; SANDER, HEIDI H.; ECKELI, ALAN L.; FERNANDES, REGINA M. F.; DOS SANTOS-PONTELLI, TAIZA E. G.; LEITE, JOAO P.; PONTES-NETO, OCTAVIO M. SOS score: an optimized score to screen acute stroke patients for obstructive sleep apnea. Sleep Medicine, v. 15, n. 9, p. 1021-1024, SEP 2014. Citações Web of Science: 14.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.