Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização da adesina responsável pelo padrão de adesão agregativa de Escherichia coli do sorotipo O142:H34

Processo: 10/05462-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2010
Vigência (Término): 30 de abril de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Waldir Pereira Elias Junior
Beneficiário:Francielli Mahnic de Vasconcellos
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Escherichia coli enteropatogênica   Adesinas   Escherichia coli   Fatores de virulência

Resumo

O termo Escherichia coli enteropatogênica (EPEC) atípica é usado para definir as EPEC que não transportam o plasmídeo EAF (E. coli adherence factor). As EPEC atípicas têm sido isoladas entre os agentes bacterianos mais freqüentes como causa de diarréia em crianças e eventualmente em adultos.Os sorotipos de EPEC atípicas podem pertencer aos sorogrupos clássicos de EPEC ou não. Mais ainda, sorotipos desta categoria têm se mostrado bastante heterogêneos quanto aos fatores de virulência, podendo apresentar adesinas, toxinas e várias proteínas secretadas de outros patótipos de E. coli diarreiogênicas.O sorogrupo O142 pertence a um dos 12 sorogrupos clássicos de EPEC. Em estudos de caracterização de amostras pertencentes a este sorogrupo, foi verificado que uma amostra do sorotipo O142:H34 apresentava as seguintes características genotípicas e fenotípicas: a presença do gene eae, o qual codifica a adesina intimina de EPEC; a ausência do plasmídio pEAF, que caracteriza EPEC típica; a presença do fragmento sonda CVD432, indicativo da presença do plasmídio de virulência de E. coli enteroagregativa (EAEC); e a expressão do padrão de adesão agregativa, padrão que caracteriza o patótipo EAEC. Além disso, essa amostra não albergava os genes estruturais das fímbrias de EAEC até então descritas. Esses resultados indicam que essa amostra apresenta uma nova adesina que medeia a adesão agregativa, além da presença da ilha de patogenicidade de EPEC (LEE) em seu cromossomo. Desta forma, este trabalho tem como objetivo a caracterização molecular e fenotípica da adesina relacionada ao padrão agregativo dessa amostra e a caracterização dos fatores de virulência de EAEC e EPEC presentes com a finalidade de classificá-la como EPEC atípica ou EAEC.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.