Busca avançada
Ano de início
Entree

Estresse oxidativo em Leishmania amazonensis: do encurtamento dos telômeros ao deslocamento de LaRPA-1 do complexo telomérico

Processo: 10/50207-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de maio de 2010
Vigência (Término): 31 de agosto de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Pesquisador responsável:Maria Isabel Nogueira Cano
Beneficiário:Marcelo Santos da Silva
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Reparo do DNA   Telômero   Estresse oxidativo   Leishmania mexicana   Leishmaniose

Resumo

A Leishmaniose é uma doença causada por parasitas do gênero Leishmania, afligindo mais de 15 milhões de pessoas e apresentando outras 350 milhões em regiões de risco. No Brasil, a doença afeta seres humanos e ocorrem em todas as regiões do país com predominância de casos nas regiões Norte e Nordeste. A infecção ocorre durante a picada de mosquitos flebotomíneos infectados, no momento da hematofagia. Para sobreviver, os parasitas precisam superar inúmeras barreiras, dentre as quais estão à exposição à ROS e RNS. Para superar estas barreiras os parasitas dispõem de diversos mecanismos, como as maquinarias de reparo a danos ao DNA e manutenção dos telômeros, sendo que ambas estão interconectadas devido à utilização em comum de diversas proteínas. As proteínas teloméricas podem regular a atividade da telomerase e manter a estabilidade dos telômeros. Dentre estas proteínas encontra-se LaRPA-1, a proteína alvo deste estudo, que cumpre importante papel em ambas as maquinarias citadas. Nosso objetivo é estudar a dinâmica de interações desta proteína frente a diferentes concentrações subletais de H202, responsáveis diretos por danos ao DNA telomérico. Verificaremos possíveis alterações nas interações entre LaRPA-1 e suas parceiras (por ex: LaRbp38 e telomerase) usando ensaios de imunoprecipitação e pull down, suas co-localizações subcelulares por imunofluorescência indireta (IF), alterações na expressão do gene e da proteína utilizando PCR em tempo real e Western blot, respectivamente. Possíveis alterações no tamanho do DNA telomérico serão verificadas por Southern blot não desnaturante. As misturas de proteínas capturadas por pull down também serão analisadas por espectrometria de massa para identificação de novos fatores de interação. Esse conhecimento poderá facilitar a descoberta de novos alvos antiparasitários e auxiliar na busca de futuras estratégias no tratamento da Leishmaniose. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.