Busca avançada
Ano de início
Entree

Evolucao de fluorescencia, camuflagem e comportamentos em aranhas thomisidae sobre flores

Processo: 10/51523-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2010
Vigência (Término): 31 de março de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Teórica
Pesquisador responsável:Gustavo Quevedo Romero
Beneficiário:Camila Vieira
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Fluorescência   Polinizadores   Thomisidae

Resumo

As interações entre polinizadores, aranhas e flores fornecem excelentes exemplos de exploração sensorial. Aranhas Thomisidae possuem fotorreceptores sensíveis a radiação ultravioleta (UV) que consiste na radiação com um comprimento de onda menor que o da luz visível aos humanos. Quando os átomos desses fotorreceptores são expostos ao UV, há uma absorção desses raios e emissão de uma radiação visível denominada fluorescência. Embora recentemente a fluorescência tenha sido descrita em diversos organismos vivos, pouco se sabe como esta propriedade evolui e em aranhas. Em Thomisidae a evolução de colorações de camuflagem e atração de presas é um tema intrigante e ainda pouco explorado, principalmente em espécies tropicais. Várias espécies de aranhas Thomisidae forrageiam por emboscada (i.e., senta-e-espera) sobre flores e se não possuírem características comportamentais e/ou físicas que favoreçam camuflagem, podem ter sucesso de captura de presas reduzido. Em contraste, outras espécies de Thomisidae consideradas basais (e.g., Tmarus) geralmente não usam flores para forragear e sua coloração é pálida o marrom. Até o momento nada se sabe sobre comportamentos, colorações, concentrações de fiuproforos entre as espécies que forrageiam em flores e em outros tipos de substrato (folhagens), nem tampouco como evoluíram estas características em Thomisidae. Neste trabalho serão investigados especificamente: (1) a variação da concentração e intensidade de fluoróforos em Thomisidae estudando desde gêneros basais até os grupos recentes; (2) se existe um contínuo de estratégias de forrageamento no grupo que pode estar relacionada com sua coloração e concentração de fluoróforos; (3) se reflexão de UV nas espécies de tomisídeos em estudo afeta a resposta de polinizadores; e (4) se as diferentes estratégias de forrageamento dentro de Thomisidae influenciam a taxa de visitação de polinizadores. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ANTIQUEIRA, PABLO A. P.; DE OMENA, PAULA M.; GONCALVES-SOUZA, THIAGO; VIEIRA, CAMILA; MIGLIORINI, GUSTAVO H.; KERSCH-BECKER, MONICA F.; BERNABE, TIAGO N.; RECALDE, FATIMA C.; BENAVIDES-GORDILLO, SANDRA; ROMERO, GUSTAVO Q. Precipitation and predation risk alter the diversity and behavior of pollinators and reduce plant fitness. Oecologia, v. 192, n. 3 FEB 2020. Citações Web of Science: 0.
VIEIRA, CAMILA; RAMIRES, EDUARDO N.; VASCONCELLOS-NETO, JOAO; POPPI, RONEI J.; ROMERO, GUSTAVO Q. Crab Spider Lures Prey In Flowerless Neighborhoods. SCIENTIFIC REPORTS, v. 7, AUG 23 2017. Citações Web of Science: 5.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
VIEIRA, Camila. Evolução de fluorescência, cripsia e comportamentos em aranhas Thomisidae sobre flores. 2015. Tese de Doutorado - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Biologia.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.