Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação longitudinal dos efeitos neuroprotetores e neurotróficos induzidos pelo lítio no transtorno bipolar: identificação de alvos clinicamente relevantes

Processo: 10/16643-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência (Início): 01 de setembro de 2010
Vigência (Término): 31 de agosto de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Pesquisador responsável:Rodrigo Machado-Vieira
Beneficiário:Rodrigo Machado-Vieira
Instituição-sede: Instituto de Psiquiatria Doutor Antonio Carlos Pacheco e Silva (IPq). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/14891-9 - Avaliação longitudinal dos efeitos neuroprotetores e neurotróficos induzidos pelo lítio no transtorno bipolar: identificação de alvos clinicamente relevantes, AP.JP
Assunto(s):Neurobiologia   Transtorno bipolar   Depressão   Plasticidade neuronal   Psicofarmacologia   Fármacos neuroprotetores

Resumo

Os Transtornos de Humor são os quadros psiquiátricos mais prevalentes, apresentando alta morbidade e curso crônico e atingindo cerca de 10-15% da população geral. Alterações estruturais, funcionais e bioquímicas cerebrais relacionados à perda de mecanismos neuroprotetores e consequente estresse e atrofia celular têm sido amplamente descritas no Transtorno de Humor Bipolar (THB). Disfunção em marcadores associados a viabilidade neuronal em estudos por imagem, bem como disregulação na atividade mitocondrial e do retículo endoplasmático, e nos níveis de neurotrofinas têm sido descritas na doença. Entretanto, a relevância clínica destas alterações fisiopatológicas permanecem muito pouco estudadas. Lítio é o tratamento mais utilizado no THB, tanto na terapêutica de episódios maníacos e depressivos, bem como manutenção e prevenção de suicídio. Diversos estudos têm demonstrado obtenção de efeitos neuroprotetores e neurotróficos pelo uso do lítio em inúmeros alvos celulares e moleculares, porém a associação entre estes efeitos neuroprotetores e a comprovada eficácia terapêutica deste agente que prova este conceito também tem sido muito pouco estudada. Este projeto visa avaliar os níveis cerebrais de lítio através da utilização de espectroscopia (7Li-MRS), e a sua potencial associação com marcadores de viabilidade neuronal como o N-acetil-aspartato e mio-inositol (utilizando-se 1H-MRS), e marcadores periféricos relacionados a atividade mitocondrial e de retículo endoplasmático, regulação de cálcio intracelular e níveis de fatores neurotróficos, todos amplamente associados a disfunção na neuroplasticidade e neuroproteção descritas na fisiopatogenia do THB. Trinta pacientes com diagnóstico de THB pelo DSM-IV-TR divididos em dois grupos de acordo com idade e tempo de doença, apresentando sintomas hipomaníacos ou depressivos atuais iniciarão uso clínico de lítio em doses terapêuticas por seis semanas. Sendo um estudo longitudinal, objetiva avaliar a associação entre as variáveis bioquímicas e moleculares em estudo com a apresentação e melhora clínica pelo uso do lítio (avaliada através da aplicação semanal de escalas de depressão, mania e cognição). Busca prioritariamente identificar possíveis marcadores biológicos clinicamente relevantes no contexto da neuroproteção, tanto associados a estado, traço ou preditores de resposta ao uso do lítio. O pesquisador responsável tem trabalhado nesta área de pesquisa por dez anos, dos quais os últimos três e meio no Laboratory of Molecular Pathophysiology and Experimental Therapeutics do National Institute of Mental Health (NIMH-NIH), em Bethesda, EUA. Este projeto planeja estar interligado ao projeto CInAPCe, já aprovado pela Fapesp, O candidato está procurando criar condições para que se forme o "Centro de Pesquisa em Neuroplasticidade e Neuroproteção nos Transtornos Psiquiátricos" no Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (IPQ-HC-FMUSP). Sobretudo, os estudos em neuroproteção e neuroplasticidade têm contribuído para uma melhor compreensão das doenças psiquiátricas, e estudos translacionais buscando identificar possíveis alvos moleculares e celulares em neuroplasticidade associados à apresentação e resposta clínica são de extrema relevância para o melhor entendimento da fisiopatogenia e o desenvolvimento de novos e melhores tratamentos para o THB e outras doenças psiquiátricas devastadoras. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.