Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de um novo sistema de transporte para a terapia gênica utilizando peptídeos célula-penetrantes

Processo: 06/58108-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2007
Vigência (Término): 31 de agosto de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Irina Kerkis
Beneficiário:Fernando de Sá Silva
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Terapia genética   Crotamina   Transfecção   Peptídeos penetradores de células

Resumo

O interesse em transportar moléculas para dentro das células se deve ao fato de existirem diferentes possibilidades de aplicações, principalmente na terapia gênica. Dentre as moléculas transportadoras, foram encontrados os peptídeos célula-penetrantes. Pertencente a este grupo, a crotamina tem a capacidade de transportar moléculas para o citoplasma e núcleo, tendo como grande vantagem a especificidade de penetrar células proliferativamente ativas. A crotamina é um peptídeo que possui duas regiões formadas por resíduos básicos, responsáveis pela localização nuclear dos peptídeos. Sendo assim, analisaremos a capacidade destas duas regiões (isoladas) de transfectar células proliferativamente ativas. Moléculas carreadoras com peso molecular baixo, aumenta sua eficiência e diminui os custos de produção. Alem disso, pretendemos estudar se esses peptídeos isolados irão manter o mesmo mecanismo de penetração, que foi previamente mostrado por nós para a crotamina, que acreditamos que seja mediada pelas GAGs de superfície. Para este experimento utilizaremos células proliferativamente ativas como células tronco embrionárias e adultas e células cancerígenas para os testes de transfecção in vitro, e camundongos para os testes de transfecção in vivo. Analisaremos a ligação entre os peptídeos e DNA plasmidial e a interação dos peptídeos e GAGs, como também a endocitose do conjugado FITC-peptideos e teste de perda lisossomal. As principais análises serão feitas utilizando microscopia confocal e citometria de fluxo. (AU)