Busca avançada
Ano de início
Entree

Modulação da resposta imune a Leishmania braziliensis por células T reguladoras

Processo: 08/05982-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2008
Vigência (Término): 30 de junho de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:João Santana da Silva
Beneficiário:Diego Luís Costa
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Imunoparasitologia   Linfócitos T reguladores   Leishmaniose cutânea   Leishmania braziliensis

Resumo

Leishmanioses são doenças causadas por protozoários do gênero Leishmania spp, e no Brasil, a mais comum é a leishmaniose cutânea. A resposta imune celular de padrão Th1 está relacionada à proteção, enquanto Th2, e exacerbação da atividade de células T reguladoras (Tregs), à suscetibilidade ao parasita. Na infecção humana com L. braziliensis, porém, isso não é bem estabelecido, já que as pessoas que desenvolvem a doença têm uma forte resposta Th1, mas não controlam a infecção. Estudos comparativos com pacientes sub-clínicos, mostram que na verdade, a falta de regulação das respostas efetoras Th1 nos pacientes com leishmaniose ativa pode ser responsável pelo desenvolvimento da doença. As células Tregs, naturais ou induzidas são importantes na imunomodulação da leishmaniose, e nosso grupo já mostrou que, em pacientes com leishmaniose cutânea, há recrutamento de Tregs naturais para a lesão, que suprimem a proliferação de células efetoras heterólogas. Isso mostra que as Tregs desses pacientes são funcionais, porém, não se sabe se as células efetoras do próprio paciente são moduladas por elas. Devido à importância que os mecanismos imunomoduladores podem ter na patogênese da infecção, o papel das Tregs nesse contexto precisa ser mais bem elucidado. Portanto, propomos caracterizar como populações naturais ou induzidas dessas células estão atuando nesses pacientes, e se elas têm a capacidade de modular a atividade de suas células efetoras. Paralelamente, nosso grupo tem estudado a atividade de Tregs na leishmaniose murina. Nossos resultados sugerem que na infecção de animais BALB/c com L. braziliensis, a menor atividade de células Treg leva à deficiente modulação de respostas Th2, ocorrendo maior produção de IL-4, o que torna os animais mais suscetíveis à infecção. Para certificar-nos disso, propomos caracterizar o papel das células T reguladoras na infecção de animais BALB/c com L. braziliensis, realizando depleção e tranferência de Tregs, bem como ensaios de co-cultura. Além disso, pretendemos caracterizar a importância de CCR4 e CCR5, importantes para recrutamento de Tregs, na infecção por L. braziliensis, usando animais geneticamente deficientes para as moléculas. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
COSTA, DIEGO L.; LIMA-JUNIOR, DJALMA S.; NASCIMENTO, MANUELA S.; SACRAMENTO, LAIS A.; ALMEIDA, ROQUE P.; CARREGARO, VANESSA; SILVA, JOAO S. CCR2 signaling contributes to the differentiation of protective inflammatory dendritic cells in Leishmania braziliensis infection. Journal of Leukocyte Biology, v. 100, n. 2, p. 423-432, AUG 2016. Citações Web of Science: 2.
COSTA, DIEGO L.; CARDOSO, TIAGO M.; QUEIROZ, ADRIANO; MILANEZI, CRISTIANE M.; BACELLAR, OLIVIA; CARVALHO, EDGAR M.; SILVA, JOAO S. Tr-1-Like CD4(+)CD25(-)CD127(-/low)FOXP3(-) Cells Are the Main Source of Interleukin 10 in Patients With Cutaneous Leishmaniasis Due to Leishmania braziliensis. Journal of Infectious Diseases, v. 211, n. 5, p. 708-718, MAR 1 2015. Citações Web of Science: 10.
COSTA, DIEGO L.; GUIMARAES, LUIZ H.; CARDOSO, THIAGO M.; QUEIROZ, ADRIANO; LAGO, EDNALDO; ROSELINO, ANA M.; BACELLAR, OLIVIA; CARVALHO, EDGAR M.; SILVA, JOAO S. Characterization of regulatory T cell (Treg) function in patients infected with Leishmania braziliensis. HUMAN IMMUNOLOGY, v. 74, n. 12, p. 1491-1500, DEC 2013. Citações Web of Science: 11.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.