Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel das vias canônica e não canônica de NF-kB no controle transcricional da indução de Linfócitos T regulatórios

Processo: 10/13234-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2010
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Marco Antonio Zago
Beneficiário:Felipe Saldanha de Araujo
Instituição-sede: Hemocentro de Ribeirão Preto. Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP (HCMRP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). Ribeirão Preto , SP, Brasil

Resumo

Os linfócitos regulatórios CD4+CD25+ (Tregs) são reconhecidos como as células regulatórias mais importante do sistema imune, estando envolvidos na tolerância imune, auto-imunidade, inflamação, transplante, câncer e infecção por HIV. As Tregs podem ser de ocorrência natural (nTregs), derivadas do timo ou induzidas na periferia a partir de células naive (iTregs). Ambos os linfócitos (nTregs e iTregs) apresentam o fenótipo similar e a expressão do fator de transcrição forkhead box P3 (Foxp3) pelas Tregs parece ser essencial para a manutenção da homeostase imunológica. Mutações envolvendo esse fator de transcrição resultam em uma síndrome caracterizada por múltiplas doenças auto-imunes, levando o paciente à morte ainda na infância. Além disso, a deficiência no número ou função das Tregs esta diretamente associada ao desenvolvimento de várias doenças auto-imunes. Recentes trabalhos apontam para um importante papel da via NF-kB na transcrição do Foxp3 em Tregs advindas do timo. Embora se reconheça a importância do fator de crescimento tumoral beta (TGF-²) e da sinalização da via TCR na geração de iTregs, os mecanismos moleculares que levam à indução dessas células são amplamente desconhecidos. O objetivo central desse trabalho visa avaliar e comparar a participação dos diferentes fatores de transcrição (RelA, RelB e c-Rel) envolvidos na sinalização da via NF-kB em três populações celulares; células naive, linfócitos efetores T CD4+ e em linfócitos iTregs gerados a partir de linfócitos naive obtidos de cordão umbilical, por metodologia de imunoprecipitação de cromatina atrelada ao uso de microarrays de regiões promotoras do genoma humano.