Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da potencialidade antitumoral de espécies neutras e catiônicas de Pd(II) com ligantes biologicamente ativos

Processo: 10/15578-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2011
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Inorgânica
Pesquisador responsável:Antonio Eduardo Mauro
Beneficiário:Antonio Carlos Moro
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Metalofármacos   Antineoplásicos   Síntese

Resumo

O interesse crescente por metalofármacos que possuam amplo espectro de atividade antitumoral frente às células sensíveis e resistentes ao cis-DDP (cisplatina), que apresentem modos de atuação distintos e sejam menos tóxicos que a cisplatina inspiram o presente trabalho. Neste projeto serão abordadas as estratégias para o desenvolvimento de agentes antineoplásicos de Pd(II), com ênfase na aplicação de compostos neutros ou catiônicos multinucleares, quelatos e ciclopaladados contendo ligantes bioativos como a hidroxiuréia (hur) e o nitroprussiato de sódio (nps = Na2[Fe(CN)5NO]). Assim, a motivação para o emprego dos ligantes tiouréia (tu), 1-tiocarbamoil-3-metilpirazol (tmPz) e [M(CN)4]2- (M = Pd(II), Ni(II)) é devida às semelhanças estruturais com a hur e o nps. Além disso, o emprego do ligante [Fe(CN)5NO]2- poderá minimizar a toxidez dos complexos, visto que as células tumorais aumentam o número de receptores de transferrina em suas superfícies, retendo mais Fe-transferrina circulantes. Desta forma, o composto seria seletivo às células neoplásicas. Com o intuito de obter compostos que atuem via intercalação no DNA serão utilizados ligantes com unidades planares (piridínicas) como a 4,4'-bipiridina (4,4'-bipy). A permeabilidade dos compostos de Pd(II) na bicamada lipídica será simulada via determinação experimental da lipofilicidade (log P). Cabe ressaltar, a realização dos experimentos para avaliar a citotoxicidade, mutagenicidade, genotoxicidade, bem como a análise do ciclo celular e a indução de apoptose, os quais indicarão a potencialidade dos complexos como metalofármacos antitumorais. Vale salientar que a motivação para o desenvolvimento do trabalho no campus UNESP/Araraquara, deve-se à excelência dos centros de pesquisa da cidade, como o Instituto de Química e a Faculdade de Ciências Farmacêuticas.