Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo de diferentes técnicas de obtenção de nanopartículas termo-sensíveis com propriedades magnéticas, constituídas de poli(N-vinilcaprolactama) e óxido de ferro, e encapsulação de um princípio ativo para aplicações biomédicas

Processo: 10/15680-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2011
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Tecnologia Química
Pesquisador responsável:Amilton Martins dos Santos
Beneficiário:Simone de Fátima Medeiros Sampaio
Instituição-sede: Escola de Engenharia de Lorena (EEL). Universidade de São Paulo (USP). Lorena , SP, Brasil
Assunto(s):Polímeros (química orgânica)   Nanopartículas magnéticas   Hematita

Resumo

Atualmente, muitos trabalhos descrevem a síntese de látices híbridos com o objetivo de explorar suas propriedades. A combinação de nanopartículas magnéticas (NPM), especialmente aquelas compostas de óxido de ferro, com polímeros visando à obtenção de materiais compósitos coloidalmente estáveis é uma tarefa de grande interesse acadêmico e industrial. Estes materiais, essencialmente sob a forma de nanopartículas magnéticas distribuídas no interior de matrizes poliméricas, encontram grande interesse como agentes para fins terapêuticos. A matriz polimérica age como compatibilizante interagindo com o meio, podendo complexar com moléculas biologicamente ativas. Além disso, as propriedades magnéticas das nanopartículas facilitam a manipulação dos respectivos sistemas. Nanopartículas poliméricas com propriedades magnéticas são suficientemente pequenas para serem incorporadas ao corpo humano sem causar distúrbios nas funções normais e, além disso, são capazes de acessar regiões inacessíveis por outros tipos de materiais. Quando utilizadas in vivo, as células reagem com estas nanopartículas, podendo haver tanto indução ao crescimento quanto à morte celular. Dentro deste contexto, vários métodos são descritos na literatura para obtenção de nanopartículas poliméricas com propriedades magnéticas (NPM). Látices e nanogéis poliméricos vêm sendo utilizados na área biomédica tanto para fins terapêuticos in vivo, como agentes de transporte e liberação de moléculas ativas encapsuladas, quanto em diagnóstico in vitro (ensaios de imunidade, separação de células, concentração de ácidos nucléicos, etc.). (AU)