Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise do perfil de expressão de microRNAs e seus alvos gênicos na placenta humana para a identificação de novos marcadores tumorais

Processo: 10/08290-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2010
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Pesquisador responsável:Wilson Araújo da Silva Junior
Beneficiário:Daniel Onofre Vidal
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Placenta   Genética molecular   Biomarcadores tumorais   MicroRNAs   Expressão gênica

Resumo

A placenta humana é um anexo embrionário altamente especializado derivada do córion que, em conjunto com as membranas fetais e o líquido amniótico, suporta o desenvolvimento normal do embrião e do feto. A placenta conta com um grupo especializado de células epiteliais (trofoblastos) que se caracterizam pela capacidade de proliferar e invadir o miométrio, proporcionando a fixação do embrião no útero. Essas características se assemelham aos mecanismos moleculares que as células tumorais utilizam durante a tumorigênese. Esta observação sugere que tanto a placenta como as células tumorais compartilham o mesmo programa genético para exercer sua função. Outra propriedade que ambas têm em comum é o escape da ação do sistema imune, ou seja, apresentem tolerância imunológica. A diferença consiste no fato de que na placenta tais mecanismos são rigorosamente regulados, enquanto que nos tumores esses processos são estocásticos. Uma série de genes envolvidos na regulação da proliferação e invasão da placenta podem ser regulados por microRNAs (miRNAs). Os miRNAs são moléculas pequenas de RNA não codificante que apresentam a capacidade de modular a expressão gênica de aproximadamente 30% dos genes de mamíferos associados a diversos processos biológicos como proliferação, invasão, adesão celular, metástase, entre outros. Na placenta, os miRNAs devem também exercer um papel importante na regulação de processos biológicos, principalmente naqueles envolvidos com o desenvolvimento da placenta. Uma vez que os trofoblastos compartilham mecanismos moleculares inerentes ao desenvolvimento de tumores, a placenta torna-se um modelo de estudo ideal para identificar novos genes ou vias gênicas envolvidas com a tumorigênese.miRNAs que apresentam uma expressão elevada na placenta e emdiferentes tipos de câncer, mas com expressão relativamente restrita emtecidos normais são potenciais alvos para o desenvolvimento de novas abordagens terapêuticas de combate ao câncer. Assim, propomos avaliar a expressão global dos miRNAs e de seus alvos gênicos na placenta humana a partir do terceiro trimestre de gestação, com o intuito de identificar novos marcadores tumorais. (AU)