Busca avançada
Ano de início
Entree

Abordagens multivariadas e moleculares no estudo fenológico de grupos funcionais do cerrado

Processo: 10/07809-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2011
Vigência (Término): 31 de março de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Gustavo Habermann
Beneficiário:Marcelo Claro de Souza
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro, SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):12/13762-3 - Estudo comparativo entre as savanas australianas e brasileiras: o alumínio edáfico pode ser considerado um fator de sobrevivências para as espécies vegetais?, BE.EP.DR
Assunto(s):Ecofisiologia   Nutrição vegetal   Cerrado

Resumo

O Cerrado brasileiro é um dos ecossistemas mais ameaçados pela redução de biodiversidade e possui diversos grupos funcionais relacionados à flora e à fauna. Dentre os vegetais destacamos três grupos funcionais relacionados à presença de folhas: decíduas, brevidecíduas e sempre-verdes. Desta forma, será conduzido um estudo utilizando espécies de três grupos funcionais relacionado à deciduidade foliar, pertencentes a um fragmento de Cerrado na Fazenda São José da Conquista, Itirapina - SP. Os objetivos deste projeto são: (i) procurar diferenças entre as espécies de cada grupo funcional em relação ao teor foliar de nutrientes (nitrogênio, fósforo, cálcio e magnésio), acúmulo foliar de carboidratos, morfologia foliar, padrões de compostos fitoquímicos e de variabilidade genética; (ii) verificar a possibilidade de que espécies classificadas atualmente por estudos fenológicos convencionais quanto à deciduidade foliar, como pertencente a certo grupo funcional, apresente características fitoquímicas, nutricionais e/ou morfológicas semelhantes entre si e distintas das espécies de outro grupo funcional; (iii) observar se em cada um dos grupos funcionais avaliados seria possível a formação de sub-grupos funcionais, em relação às variáveis medidas; e (iv) testar diferentes equações matemáticas referentes à área foliar (AF) de cada espécie dentro dos grupos funcionais para gerar uma equação matemática geral para cada grupo funcional, propondo-se evitar futuros estudos destrutivos sobre desenvolvimento foliar de espécies com padrão fenólogico de deciduidade foliar já descrito. Para tal será avaliado o período de longevidade foliar de cada espécie e a morfologia foliar com base em equações matemáticas que considerem o comprimento, largura e AF real e que possam resultar na AF estimada. Além disso, também serão realizadas análises foliares nutricionais, fitoquímicas, bem como a determinação do teor de clorofila, coloração foliar e a variabilidade genética por meio de marcadores RAPD. Espera-se assim responder se existe ou não um padrão ecofisiológico entre as espécies de cada grupo funcional avaliado.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.