Busca avançada
Ano de início
Entree

Construção e caracterização de vetores adenovirais portadores do cDNA para interferon beta humano

Processo: 10/15025-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2011
Vigência (Término): 31 de março de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Bryan Eric Strauss
Beneficiário:Taynah Ibrahim Picolo David
Instituição-sede: Instituto do Câncer do Estado de São Paulo Octavio Frias de Oliveira (ICESP). Coordenadoria de Serviços de Saúde (CSS). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Terapia genética   DNA complementar   Interferon beta   Genes p53   Adenovirus   Neoplasias   Tropismo

Resumo

A incidência do câncer não para de crescer e comprovadamente diagnósticos precoces e a prevenção ainda são as principais formas de combater a doença, mas mesmo empregadas com alta eficiência, o câncer ainda será um significativo problema mundial. Face a isto, a terapia gênica surge como uma importante alternativa para o seu tratamento. Este projeto tem como alvo criar vetores adenovirais recombinantes com tropismo amplo que portem genes terapêuticos a serem introduzidos em células tumorais humanas. Para isto, nosso grupo desenvolveu vetores virais que utilizam um promotor responsivo a p53 (PG) para dirigir a expressão do transgene contido no vetor adenoviral, gerando os vetores AdPG. Num modelo de melanoma em camundongo, observamos que o uso do AdPG para transferir os cDNAs para ambos p19ARF (gene murino equivalente ao p14ARF humano) e interferon beta murino (mIFNbeta) proporciona morte de células tumorais in vitro e in vivo, enquanto este efeito anti-tumoral não foi observado com a aplicação individual destes fatores. Para dar continuidade no projeto, seguiremos dois caminhos em paralelo, um utilizando o modelo em camundongo imunocompetente e outro em modelos de câncer humano. Gostaríamos de verificar se o efeito visto no modelo murino é constatado no modelo humano e, posteriormente, explorar o mecanismo para este efeito em modelos clinicamente relevantes. A proteína interferon beta possui uma atividade espécie-específica e para darmos continuidade a este trabalho, precisamos usar os cDNAs humanos. Assim propomos a construção de vetores monocistrônicos portadores dos cDNAs de p14ARF ou interferon beta humano e o vetor bicistrônico portador de ambos estes cDNAs. Com este projeto pretendemos verificar o efeito da combinação p14ARF/interferon beta humano em células derivadas de tumores humanos. (AU)