Busca avançada
Ano de início
Entree

Determinação do valor prognóstico e preditivo de resposta de características clínicas, histopatológicas e da expressão de ercc1 e tubulina betaiii em carcinoma pulmonar de células não pequenas avançado tratados com cisplatina e vinorelbina

Processo: 10/15761-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2010
Vigência (Término): 30 de novembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Gilberto de Castro Junior
Beneficiário:Carolina Ribeiro Victor
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Oncologia   Cisplatino   Quimioterapia   Neoplasias pulmonares

Resumo

O câncer de pulmão é a principal causa de óbito por neoplasia nos países ocidentais. O carcinoma pulmonar de células não pequenas (CPCNP), a histologia mais freqüente de câncer de pulmão, se apresenta em cerca de 50% dos casos novos no nosso meio como doença metastática, incurável. O tratamento sistêmico, com quimioterapia baseada em derivados de platina, oferece resultados ainda desanimadores: taxa de resposta em torno de 30%, com sobrevida livre de progressão de três meses e com sobrevida global de apenas nove meses. Uma das alternativas consideradas padrão é a combinação de cisplatina com um alcalóide da vinca, a vinorelbina. Consideramos a seleção dos pacientes candidatos a este tratamento um fator crítico para o sucesso terapêutico, e assim sendo, para melhorar as taxas de resposta (identificar os tumores mais responsivos) e diminuir a toxicidade do tratamento (inclusive poupando os pacientes não responsivos de tratamentos ineficazes e tóxicos), é preciso avaliar fatores preditivos de resposta ao tratamento, que podem inclusive ter alguma utilidade prognóstica. A expressão de ERCC1 (Excision-Repair Cross Complementing Group 1) é associada à maior capacidade de reparo de DNA em cânceres humanos, e este marcador poderia ser utilizado como preditivo de resistência à cisplatina. No entanto, a expressão de ERCC1 poderia reduzir o acúmulo de mutações no DNA e interferir de modo favorável na progressão de determinada neoplasia, sendo então um fator relacionado ao melhor prognóstico. Tubulina ²III (TUBB3), uma isoforma de tubulina, parece estar relacionada pelo menos parcialmente à resistência aos agentes antimicrotúbulos, mas também a outras drogas. A fim de contribuirmos para uma melhor seleção de pacientes candidatos à quimioterapia sistêmica consistindo em vinorelbina com um agente derivado da platina no cenário paliativo (doença incurável, recidivada), avaliaremos neste estudo o valor prognóstico e preditivo de resposta de características clínicas e histopatológicas em pacientes portadores de CPCNP avançado tratados com cisplatina e vinorelbina, assim como explorar o papel da expressão de marcadores biológicos relacionados à resistência aos agentes antimicrotúbulos (tubulina ²III) e mecanismos de reparo de DNA (ERCC1).