Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de um sistema de biblioteca de display de anticorpos humanos para terapêutica anti-angiogênica

Processo: 10/13912-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2011
Vigência (Término): 31 de agosto de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Ricardo Jose Giordano
Beneficiário:Carlos Henrique Rodrigues Gomes
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Anticorpos monoclonais   Phage display

Resumo

A formação de novos vasos sanguíneos num organismo adulto, a partir dos já existentes (angiogênese), ocorre apenas em algumas condições fisiológicas, tais como cicatrização ou o ciclo reprodutivo feminino. Porém, diversas doenças induzem o crescimento, muitas vezes desorganizado, de vasos sanguíneos patológicos. O câncer é um exemplo bem descrito e estudado, mas doenças como retinopatias, psoríase e artrite, fazem parte de uma lista crescente de doenças, hoje conhecidas com doenças dependentes da angiogênese. Em 2004, o Food and Drug Administration (FDA) aprovou o uso do anticorpo monoclonal bevacizumab, o primeiro medicamento anti-angiogênico, para o tratamento do câncer do cólon. Em 2006, um fragmento do bevacizumab foi aprovado para o tratamento da degeneração macular associada à idade. O bevacizumab, assim como outros medicamento em uso atualmente na clínica, são dirigidos contra o fator central da angiogênese, o fator de crescimento vascular (VEGF). As terapias anti-VEGF, são úteis, mas não ideais, devido aos efeitos colaterais e sua eficácia relativa. Isso se deve ao fato do VEGF ser, também, um fator de sobrevivência endotelial. Nesse projeto, vamos buscar novos fatores envolvidos na formação de vasos sanguíneos. Para tal, iremos construir uma biblioteca de Phage Display para isolar anticorpos humanos dirigidos contra antígenos expressos em células endoteliais angiogênicas. Esses anticorpos identificarão, não apenas novos fatores moleculares importantes na angiogênese, mas servirão, também, de base para o desenvolvimento de alternativas terapêuticas para essas doenças.