Busca avançada
Ano de início
Entree

Comparação fenotípica e genotípica de Cryptococcus isolados de pacientes com diferentes aspectos clínicos da infecção fúngica

Processo: 10/51932-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2010
Vigência (Término): 30 de novembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Roberto Martinez
Beneficiário:Érika Nascimento
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Fatores de virulência   Cryptococcus neoformans   Cryptococcus gattii   Técnicas de genotipagem

Resumo

Diferentes apresentações e evoluções clínicas da criptococose serão analisadas comparativamente a características genotípicas e fenotípicas de Cryptococcus isolados por respectivos pacientes. Para isto, foram selecionados 89 isolados do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP, que representavam os seguintes casos clínicos: a) pacientes co-infectados pelo HIV dos quais o criptococo foi isolado prolongadamente ou em períodos distintos, indicando persistência da infecção, recidiva ou re-infecção, b) pacientes co-infectados pelo HIV e que apresentaram a criptococose apenas uma vez e c) pacientes HIV soro negativos imunocompetentes ou imunodeprimidos. A proposta deste estudo, primeiramente será determinar as características genotípicas dos isolados utilizando a PCR para: a) identificar as espécies e os sorotipos, b) classificar quanto ao mating types (a e αa) e c) realizar a tipagem molecular por PCR fingerpring para detectar possíveis variabilidades genéticas intra e inter espécies. A patogênese dessa micose profunda está associada aos fatores de virulência do fungo, portanto, neste projeto também será avaliado a virulência dos isolados de Cryptococcus utilizando métodos fenotípicos. O tratamento da criptococose nos diferentes sítios e nas diferentes condições imunológicas dos pacientes não é tão efetivo, pois esta enfermidade apresenta alta taxa de mortalidade e nos casos de cura pode deixar seqüelas neurológicas. Com os métodos de microdiluíção em placa e teste, serão determinados e comparados os perfis de susceptibilidade frente aos antifúngicos itraconazol, fluconazol, voriconazol, anfotericina B e 5-fluorcitosina dos isolados de Cryptococcus. Após as caracterizações genotípicas e fenotípicas será possível correlacionar esses dados com os aspectos clínicos, evolutivos e epidemiológicos obtidos dos prontuários médicos. Espera-se que os resultados tragam contribuição relativa a epidemiologia e patogenia da criptococose e para o aprimoramento do tratamento dos pacientes. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ERIKA NASCIMENTO; LUCIA HELENA VITALI; MARCIA REGINA VON ZESKA KRESS; ROBERTO MARTINEZ. Cryptococcus neoformans and C. gattii isolates from both HIV-infected and uninfected patients: antifungal susceptibility and outcome of cryptococcal disease. Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, v. 59, p. -, 2017.
NASCIMENTO, ERIKA; VITALI, LUCIA HELENA; VON ZESKA KRESS, MARCIA REGINA; MARTINEZ, ROBERTO. Cryptococcus neoformans and C-gattii isolates from both HIV-infected and uninfected patients: antifungal susceptibility and outcome of cryptococcal disease. Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, v. 59, 2017. Citações Web of Science: 3.
NASCIMENTO, ERIKA; VITALI, LUCIA H.; TONANI, LUDMILLA; VON ZESKA KRESS, MARCIA R.; TAKAYANAGUI, OSVALDO M.; MARTINEZ, ROBERTO. Refractory and/or Relapsing Cryptococcosis Associated with Acquired Immune Deficiency Syndrome: Clinical Features, Genotype, and Virulence Factors of Cryptococcus spp. Isolates. American Journal of Tropical Medicine and Hygiene, v. 94, n. 5, p. 975-981, 2016. Citações Web of Science: 3.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.