Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção dè mudas dè pinhão manso (Jatropha curcas Linn.) in-vitro (cultivo dè embriões e micropropagação), visando otimização dò ciclo dè cultivo e da obtenção dè biodiesel

Processo: 10/17574-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2010
Vigência (Término): 30 de novembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Tecnologia e Utilização de Produtos Florestais
Pesquisador responsável:Isaac Stringueta Machado
Beneficiário:Leandro Cesar Lopes
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Meios de cultura   Micropropagação vegetal   Produção de mudas

Resumo

O pinhão manso (Jatropha curcas Linn.) é uma planta nativa da América do Sul, possivelmente do Brasil, de grande potencial econômico, pois suas sementes contêm cerca de 40-50% de óleo rico em hidrocarbonetos reduzidos que podem ser extraídos e convertidos em compostos similares aos produzidos a partir do petróleo; e ainda, apresentam propriedades interessantes para a indústria de fármacos e tintas. Contribui para a conservação do meio ambiente por ser biomassa renovável, sequestradora de CO2 da atmosfera, e produtora de óleo combustível substituto do diesel mineral; tudo isso aliado à capacidade de proteger os solos contra erosão e lixiviação de nutrientes. A literatura científica pertinente é, contudo, escassa e faltam dados de pesquisa da viabilidade econômica da extração e utilização do óleo, bem como do sistema de produção, especialmente aquele que parte de mudas produzidas in vitro. Pretende-se estudar a multiplicação in vitro, através do acompanhamento dos efeitos das citocininas BAP e BA, cinetina KIN e da auxina AIB, em diferentes balanceamentos, na indução de brotações adventícias em meristemas originados de eixos embrionários regenerados in vitro. Esta pesquisa poderá resultar na otimização do sistema de multiplicação in vitro, atingindo um nível de produção de mudas em larga escala e com maior rapidez; além da possibilidade de agregação de valores agronômicos como limpeza clonal de fitopatógenos endógenos e uniformidade do ponto de vista genético. Em qualquer resultado, espera-se contribuição, no aspecto social, pelo favorecimento da disseminação da cultura entre produtores agrícolas, objetivando maximização do fornecimento de matéria-prima para as usinas de produção de biodiesel e outras.