Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação de interações hiperfinas em compostos intermetálicos Ce(PdxRh1-X)2Si2; CexGd1-xRh2Si2, PrxGd1-xRh2Si2 e NdxGd1-xRh2Si2 pela espectroscopia de correlação angular gama-gama perturbada

Processo: 10/16260-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2011
Vigência (Término): 31 de julho de 2014
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Nuclear - Aplicações de Radioisótopos
Pesquisador responsável:Artur Wilson Carbonari
Beneficiário:Gabriel Adolfo Cabrera Pasca
Instituição-sede: Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):13/05552-1 - Investigação de interações hiperfinas em compostos intermetálicos Ce(PdxRh1-X)2Si2; CexGd1-xRh2Si2, PrxGd1-xRh2Si2 e NdxGd1-xRh2Si2 pela espectroscopia de correlação angular gama-gama perturbada, BE.EP.PD

Resumo

Sistemas fortemente correlacionados apresentam propriedades muito interessantes. Em especial sistemas baseados em Cério. Nas ultimas décadas estes tipos de sistemas foram e são estudados por diferentes metodologias, tanto experimentais como teóricas. Este projeto tem como objetivo o estudo sistemático das interações hiperfinas (campo hiperfino magnético (Bhf) e gradiente de campo elétrico (GCE)) em compostos intermetálicos de terras raras que apresentem magnetismo, supercondutividade, ou até mesmo, sua coexistência. Em particular serão investigados compostos intermetálicos Ce(PdxRh1-X)2Si2; CexGd1-xRh2Si2, ; PrxGd1-xRh2Si2 e NdxGd1-xRh2Si2, com Ce como um dos constituintes e com Ce como impureza altamente diluída, utilizando a técnica de Correlação Angular Perturbada (CAP). As medidas de CAP serão correlacionadas com medidas de magnetometria utilizando um magnetômetro SQUID.Pretende-se utilizar a vantagem da técnica CAP por ser a única que consegue medir campos hiperfinos no sítio do Ce, por meio do núcleo de prova 140La(140Ce), desta forma contribuir para um melhor entendimento do comportamento do elétron 4f do íon Ce. Será também utilizado o núcleo de prova 111In(111Cd) e 181Hf(181Ta) para medir campos hiperfinos nas diferentes posições cristalográficas das amostras o que permitira caracterizar as propriedades estruturais através das informações dos parâmetros hiperfinos tais como GCE e o parâmetro de assimetria. Este conjunto de medidas de Bhf permitirá esclarecer a contribuição para o Bhf da matriz e do elétron 4f do Ce. Os núcleos de prova serão introduzidos nas amostras via metodologias já estabelecidas (difusão, fusão) em amostras previamente caracterizadas por difração de raios-X (DRX). As medidas de interações hiperfinas e magnetometria serão feitas abrangendo uma ampla faixa de temperatura de 4,2-300 K.