Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel da proteína EspFu na adesão de Escherichia coli enteropatogênica atípica a células epiteliais

Processo: 10/11458-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2010
Vigência (Término): 31 de março de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Waldir Pereira Elias Junior
Beneficiário:Sérgio Paulo Dejato da Rocha
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Escherichia coli

Resumo

O termo Escherichia coli (EPEC) atípica é usado para definir amostras de EPEC que não transportam o plasmídio EPEC adherence factor (EAF). Estas EPEC têm sido encontradas como causa de diarréia em vários países, incluindo o Brasil e, ultimamente, estão entre os agentes bacterianos mais comuns em nosso meio como causa de diarréia em crianças. As EPEC atípicas (aEPEC) podem pertencer ou não aos sorogrupos clássicos de EPEC. Apresentam em comum com as EPEC típicas (tEPEC) a capacidade de causar uma lesão histopatológica no epitélio intestinal denominada lesão attaching-effacing (A/E), desencadeada por uma série de proteínas codificadas por uma ilha de patogenicidade conhecida como locus of enterocyte effacement ou região LEE. As aEPEC podem aderir ou não as células epiteliais. As aderentes expressam predominantemente o padrão localizado-like (LAL), assim como os padrões agregativo (AA) e difuso (DA). Alguns estudos têm demonstrado um aumento no isolamento de aEPEC não aderentes (NA) em células epiteliais cultivadas. Não obstante a importância das aEPEC como causa de diarréia, são limitados os estudos sobre estes microrganismos, principalmente com relação aos seus mecanismos de patogenicidade. Um recente trabalho, desenvolvido em nosso laboratório, mostrou que a ausência de EspFu é responsável pela incapacidade de uma amostra de aEPEC não aderir a células epiteliais cultivadas. Uma vez que a adesão à mucosa intestinal é o passo essencial para o desencadeamento da lesão A/E, esta amostra deve ter perdido elementos genéticos móveis durante a passagem pelo intestino, nos quais o gene espFu está localizado. Estes elementos devem ser essenciais no controle da expressão de fatores que promovem a adesão das aEPEC. Desta forma, o principal objetivo deste estudo é analisar o papel da proteína EspFu no processo de adesão de uma amostra de aEPEC NA através da comparação entre a amostra selvagem (que não apresenta fenótipo de interação com células epiteliais HeLa) e esta mesma amostra expressando EspFu in trans, a qual expressa o padrão de adesão ALL em células HeLa. Os níveis de expressão dos operons da região LEE e do operon do flagelo dessas duas amostras serão pesquisados após a interação com células HeLa. A interação da proteína EspFu com os promotores destes operons também será determinada, assim como o fenótipo dessas duas amostras de aEPEC em modelo in vivo. Com isso pretende-se investigar a participação de EspFu na ativação de fatores de adesão (intimina, EspA e flagelo) de aEPEC. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.