Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção de cianopeptídeos por cianobactérias isoladas de corpos d'água brasileiros

Processo: 10/15696-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2010
Vigência (Término): 30 de novembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Toxicologia
Pesquisador responsável:Ernani Pinto Junior
Beneficiário:Ronaldo Leal Carneiro
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Cianobactérias   Ecofisiologia   Luz

Resumo

Após mais de vinte anos de estudos, no Brasil, sobre cianobactérias tóxicas, uma pergunta ainda é recorrente, seriam as cianobactérias brasileiras produtoras de cianopeptídeos inibidores de proteínas? As cianobactérias são micro-organismos aquáticos cujo grande interesse tem sido acerca do seu potencial em produzir toxinas que afetam não só a biota aquática, mas também o ser humano. As cianotoxinas (nome dado a estas toxinas) são produtos naturais oriundos do metabolismo secundário, ou numa nomenclatura mais atual, do metabolismo especial das cianobactérias. Sem papel conhecido para os organismos que as produzem, estes compostos podem causar não só alterações organolépticas em corpos d'água, mas também prejudicar os rins, fígado e sistema nervoso dos organismos que entram em contato com cianotoxinas. Atualmente, outros compostos provindos deste metabolismo secundário vêm sendo descritos. Apesar de não ter um efeito tóxico acentuado, são peptídeos cíclicos de baixo peso molecular cada vez mais descritos em alguns países. Aparentemente, os então denominados cianopeptídeos causam inibição de proteases em alguns sistemas biológicos. Há um número muito limitado de informações sobre a produção destes compostos por cianobactérias. Portanto, a investigação da produção de cianopeptídeos é de extrema relevância, em parte por seu potencial toxicológico, mas também por seu potencial farmacológico. O presente estudo tem o objetivo de identificar a produção de cianopeptídeos em cianobactérias isoladas de ambientes brasileiros e seus possíveis efeitos tóxicos, potencial inibição de proteases e/ou potencial farmacológico. Serão utilizadas linhagens de cianobactérias isoladas de corpos d'água das represas de Americana e Taquacetuba - SP. As linhagens serão cultivadas em variações de dois fatores ambientais, luz e nutrientes. Em seguida serão investigadas as possíveis produções de cianopeptídeos, bem como sua identificação e quantificação utilizando técnicas cromatográficas e espectrométricas como cromatografia líquida de alta eficiência e cromatografia líquida acoplada à espectrometria de massas. Os compostos identificados serão isolados e testados em ensaios de inibição de proteases. Além disso, os possíveis efeitos citotóxicos desses compostos sob células de mamíferos também serão investigados. Espera-se com os resultados obter pela primeira vez informações sobre a produção de cianopetídeos por cianobactérias brasileiras, bem como estabelecer ferramentas efetivas para correta detecção e identificação destes compostos em cianobactérias isoladas ou em populações naturais. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CARNEIRO, RONALDO LEAL; DOERR, FELIPE AUGUSTO; DOERR, FABIANE; BORTOLI, STELLA; DELHERBE, NATHALIE; VASQUEZ, MONICA; PINTO, ERNANI. Co-occurrence of microcystin and microginin congeners in Brazilian strains of Microcystis sp.. FEMS MICROBIOLOGY ECOLOGY, v. 82, n. 3, p. 692-702, DEC 2012. Citações Web of Science: 12.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.