Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo de proteômica como estratégia para identificação de biomarcadores para diagnóstico precoce de candidemia

Processo: 10/17179-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2010
Vigência (Término): 30 de novembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Arnaldo Lopes Colombo
Beneficiário:Fernando César Bizerra
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:07/08575-1 - Candidíase hematogênica: uma abordagem multidisciplinar para o aprimoramento de ferramentas diagnósticas e caracterização de biomarcadores relacionados ao seu prognóstico, AP.TEM
Assunto(s):Infectologia   Candidemia   Biomarcadores   Diagnóstico precoce   Proteômica

Resumo

Atualmente, Candida spp. responde pela grande maioria dos casos de infecções fúngicas invasivas hospitalares. A infecção de corrente sanguínea por Candida spp. (candidemia), muitas vezes, é diagnosticada tardiamente e está associada à alta taxa de mortalidade, repercutindo ainda no tempo e no custo de internação hospitalar. Apesar dos esforços da comunidade científica, ainda não há métodos adequados para diagnóstico precoce da candidemia. Neste contexto, a proteômica tem surgido como importante ferramenta aplicada à pesquisa e à busca por novos biomarcadores para diagnóstico. Assim, utilizando a proteômica como estratégia de estudo, este projeto tem como objetivos: 1) Padronizar ensaios de espectrometria de massa para identificação de proteínas presentes no plasma de pacientes com diagnóstico de candidemia; 2) Comparar o perfil protéico do plasma de pacientes com candidemia ao de pacientes de grupos controle; 3) Identificar possíveis proteínas fúngicas circulantes, presentes especificamente no plasma de pacientes com candidemia; 4) Validar as estratégias diagnósticas desenvolvidas a partir dos objetivos 2 e 3. Inicialmente, em um ensaio piloto, nos propomos a padronizar algumas etapas essenciais ao desenvolvimento deste estudo, incluindo análise do volume ideal de plasma a ser utilizado, do método de extração das proteínas e do impacto da depuração da albumina na identificação das demais proteínas presentes no plasma. Para o objeto 2 e 3, as seguintes coortes serão formadas: pacientes com candidemia (n=10); pacientes com bacteremia (n=10); indivíduos sadios (n=10). As proteínas plasmáticas serão analisadas diretamente em um espectrômetro de massa, através da tecnologia Multidimensional Protein Identification Technology (MudPIT). Através dos resultados da espectrometria de massa, nos propomos a caracterizar o perfil protéico específico de pacientes com candidemia comprovada (objetivo 2), assim como identificar possíveis proteínas fúngicas circulantes (objetivo 3). Uma vez encontrados biomarcadores sugestivos de candidemia, sua utilidade clínica será validada em coortes com maior número de pacientes por grupo (n=50, por grupo). Este projeto visa o desenvolvimento de novas estratégias diagnósticas que possibilitem o reconhecimento precoce de candidemia, o que pode resultar na diminuição do tempo para início da terapia antifúngica e, conseqüentemente, diminuição das taxas de mortalidade, repercutindo ainda na diminuição do tempo e dos custos de internação hospitalar. Este estudo conta com as colaborações do Laboratório de Proteômica da UNIFESP, Laboratório ThoMSon - UNICAMP e da empresa Waters, fabricante do espectrômetro de massa, com os quais já possuímos projetos em andamento. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.