Busca avançada
Ano de início
Entree

Comprometimento funcional de células dendríticas derivadas de monócitos de pacientes com câncer: envolvimento da via de sinalização da p38MAPK e da proteína de choque térmico HSP27

Processo: 10/13925-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2011
Vigência (Término): 31 de agosto de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Jose Alexandre Marzagão Barbuto
Beneficiário:Bruna Zelante Barbosa
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/54599-5 - Células dendríticas: elementos integrados do sistema imune - enfoque aplicado, AP.TEM
Assunto(s):Transdução de sinais   Células dendríticas   Neoplasias mamárias

Resumo

As células dendríticas (DCs) são as principais células apresentadoras de antígeno (APCs), pois possuem uma série de características que as distinguem das demais APCs. Justamente por isso, intervenções terapêuticas utilizando as DCs têm sido intensamente testadas em pacientes com câncer nos últimos anos e têm demonstrado resultados promissores. Entretanto, a terapia com DCs ainda não atingiu todo o seu potencial, pois as DCs e seus precursores nesses pacientes apresentam diversas alterações funcionais e de maturação. Sabe-se que o processo de maturação das DCs é essencial para sua função e, dentre as vias de sinalização intracelular envolvidas neste fenômeno, tem-se atribuído à via da p38MAPK (p38 Mitogen-Activated Protein Kinase) um papel relevante. Esta mesma via está envolvida na resposta ao estresse e, considerando-se a presença do tumor como tal, é possível que esta via esteja ativada nos pacientes. Uma das conseqüências da ativação desta via pode ser a ativação da proteína de choque térmico 27, HSP27, que parece ser capaz de interferir no processo de diferenciação e maturação das DCs. Recentemente, nosso grupo observou que DCs derivadas de monócitos (Mo-DCs) de pacientes portadores de carcinoma ductal invasivo de mama, além de defeitos fenotípicos e funcionais, apresentam, de fato, uma elevada expressão da HSP27. Assim, pode-se especular que uma possível ativação precoce na via da p38MAPK em relação à diferenciação e maturação das DCs, causada pela condição estressante que o tumor pode gerar no organismo, leve à ativação da HSP27, o que pode contribuir para as alterações funcionais observadas. Diante desta hipótese, o presente projeto pretende investigar o estado de ativação da HSP27 e sua dependência da via da p38MAPK em pacientes com carcinoma ductal invasivo de mama, procurando correlacionar os achados com os defeitos fenotípicos e funcionais encontrados em suas Mo-DCs. Além disto, pretende-se também investigar se a presença de células tumorais durante a diferenciação/maturação de Mo-DCs de doadores saudáveis in vitro mimetiza as alterações nas vias de sinalização e no fenótipo e função destas células.