Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do papel das células t reguladoras na infecção experimental por Toxoplasma gondii

Processo: 11/00024-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2011
Vigência (Término): 30 de setembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:João Santana da Silva
Beneficiário:Murilo Solano Dias
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:07/53940-0 - Células T reguladoras e TH 17 no controle da imunidade contra infecções, tumores e doenças autoimunes, AP.TEM
Assunto(s):Imunorregulação   Modelo experimental   Toxoplasma gondii   Linfócitos T reguladores

Resumo

A infecção oral por Toxoplasma gondii induz uma patologia na qual o equilíbrio entre inflamação e regulação é determinante para a evolução da doença no hospedeiro. Quando T. gondii invade o hospedeiro pela via natural de infecção (oral) a multiplicação do parasito é observada na lâmina própria do intestino, levando ao desenvolvimento de desordens inflamatórias intestinais em certas linhagens de camundongos 1,2. Essa patologia compartilha características morfológicas e histológicas com a doença inflamatória intestinal que ocorre em humanos e a inflamação exacerbada resulta em mortalidade precoce dos hospedeiros susceptíveis 1,3. A proteção contra a toxoplasmose é mediada por uma resposta imune celular dependente de linfócitos T CD4+, CD8+ e produção de IFN-g, TNF-a e óxido nítrico, assim como de outros tipos celulares, como neutrófilos, macrófagos, células dendríticas 4. Entretanto, essa resposta inflamatória também contribui para a patogenia da doença. Após infecção oral com 100 cistos da cepa ME49 de T. gondii, camundongos C57BL/6 morrem de uma intensa inflamação intestinal, com presença do parasito em diversos órgãos, como intestino, fígado e pulmão, enquanto animais da linhagem BALB/c sobrevivem e progridem para uma forma crônica da doença 1,2. As diferenças de susceptibilidade desses animais residem principalmente no padrão de resposta imunológica desenvolvida por cada linhagem. Neste contexto, é possível que células T reguladoras e Th17 estejam envolvidas no controle ou na progressão da doença em animais resistentes (BALB/c) e susceptíveis (C57BL/6).Este projeto está inserido no projeto "Estudo do papel das células T reguladoras e Th17 na infecção experimental por Toxoplasma gondii" desenvolvido pela pós-doutoranda Denise Morais da Fonseca (processo 2009/13890-9)