Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da refrigeração e do uso embalagem na conservação pós-colheita de framboesas in natura

Processo: 10/18798-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2011
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Ricardo Alfredo Kluge
Beneficiário:Gisele Santana de Oliveira
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Refrigeração   Conservação   Embalagens   Framboesa   Fisiologia pós-colheita   Pós-colheita

Resumo

A framboesa vem se destacando dentre as pequenas frutas por apresentar elevado teor de substâncias antioxidantes e anticancerígenas, além de ser uma fruta atraente. Com sabor e aroma agradáveis pode ser consumida in natura, na forma de geléia, sucos, iogurtes, sorvetes e doces. No entanto, é uma fruta com período de vida útil limitado por muitos fatores, principalmente, alta taxa metabólica, perda de firmeza, escurecimento e podridão. Esses fatores fazem com que a fruta mantenha as qualidades desejáveis para comercialização por apenas cinco dias. O objetivo desse trabalho é ampliar o período de conservação pós-colheita da framboesa in natura, através da utilização das tecnologias de atmosfera modificada e de armazenamento refrigerado. O trabalho será dividido em duas etapas. A primeira terá como objetivo a determinação da temperatura de armazenamento que melhor manterá as qualidades da framboesa in natura. Após determinada a melhor condição de armazenamento, será montado o segundo experimento, o qual determinará a embalagem mais adequada para a framboesa, bem como a avaliação da atmosfera modificada passiva que esta causará. As análises realizadas serão: perda de massa fresca, coloração, firmeza, sólidos solúveis, acidez titulável, teor de ácido ascórbico, taxa respiratória e de produção de etileno, composição gasosa, teor de antocianina e incidência de podridão. O delineamento estatístico será inteiramente casualizado, em esquema fatorial, com quatro repetições com aproximadamente 120 g de frutos por repetição. Os resultados serão submetidos à análise de variância e as médias serão comparadas pelo teste de Tukey (p<0,05).