Busca avançada
Ano de início
Entree

Desempenho de escolares com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade em habilidades de leitura e escrita

Processo: 10/04661-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2011
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Pesquisador responsável:Patricia Abreu Pinheiro Crenitte
Beneficiário:Talita Fernanda Gonçalves-Guedim
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Transtorno do deficit de atenção com hiperatividade   Rendimento escolar   Leitura   Escrita   Crianças em idade escolar

Resumo

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é o distúrbio neuropsiquiátrico mais comum da infância e está incluído entre as doenças crônicas mais prevalentes entre escolares, podendo apresentar em sua historia acadêmica, o fracasso escolar, determinado por alterações na entrada da informação. A adaptação ao ambiente escolar, o relacionamento interpessoal adequado com os pares e boas notas são padrões esperados de uma criança em idade escolar. A presença de TDAH, transtornos do aprendizado (TA) ou, ainda, a presença de ambos os diagnósticos em comorbidade, representam fatores de risco importantes para o mau rendimento escolar. Os TA são entendidos como um fracasso para desenvolver habilidades específicas esperadas para a idade e escolaridade, na ausência de privação sensorial, doença neurológica ou déficit intelectual global significativo.O processo diagnóstico e o tratamento do TDAH são complexos, tanto pelo caráter dimensional dos sintomas de desatenção e/ou hiperatividade, como pela alta freqüência de comorbidades psiquiátricas.Há poucos estudos no Brasil que se refere à avaliação fonoaudiologia no TDAH, mas sabe-se que na escrita, é freqüente a presença de disgrafia, nesses pacientes a letra encontra-se prejudicada no seu aspecto grafomotor, pelas dificuldades de coordenação motora fina e pela falta de organização.Considerando a grande incidência de déficits atentivos com os transtornos de linguagem, é válido ressaltar a relação entre a linguagem e a atenção, enfatizando a importância da atenção para o processamento da linguagem oral e escrita. A atenção é necessária desde o início da aquisição da linguagem oral, possibilitando-nos inferir que o comprometimento desta função venha a interferir de modo decisivo no desenvolvimento da linguagem, não só nos aspectos de domínio das estruturas lingüísticas, mas também no desenvolvimento das habilidades comunicativas que a criança participa. Indivíduos que apresentam atraso no desenvolvimento da linguagem podem apresentar distúrbios de aprendizagem, entre eles os de leitura e escrita. Isso ocorre por apresentarem limitações no fluxo de fala espontânea, desorganização na elaboração de formas gramaticais, dificuldades de memória e compreensão auditiva, além de trocas ortográficas.O tratamento dos sintomas de TDAH pode melhorar a habilidade de priorizar estímulos relevantes, a memória operacional (de trabalho), o armazenamento e a recuperação do material aprendido. A aplicação de procedimentos de avaliação possibilita verificar o uso de habilidades do processamento fonológico, como a consciência fonológica, memória de trabalho e nomeação rápida.O processamento fonológico faz parte do processamento auditivo ligado ao domínio da leitura e escrita, este se refere à informação fonológica recebida auditivamente, que está diretamente relacionada ao desenvolvimento da linguagem oral e da linguagem escrita em um sistema de escrita alfabética. A consciência fonológica, a memória fonológica e a nomeação rápida compõem o processamento fonológico. As novas perspectivas de Análise do Processamento da Informação têm colaborado para o entendimento das dificuldades no aprendizado da leitura e escrita. Sendo assim, o objetivo principal deste estudo, é aplicar uma avaliação fonoaudiológica especifica elaborada a partir de habilidades fonológicas, auditivas, visuais de leitura e escrita em indivíduos com TDAH. (AU)