Busca avançada
Ano de início
Entree

Clonagem de Novas Mutações no gene RET Associadas à Síndrome MEN 2A e investigação da Ativação da via RET/RAS/ERK

Processo: 10/19172-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2011
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Janete Maria Cerutti
Beneficiário:Larissa Valdemarin Bim
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias da glândula tireoide   Feocromocitoma   Mutação

Resumo

O gene RET é um oncogene localizado no cromossomo 10q11.2, contém 21 éxons e codifica um receptor transmembrana com atividade tirosina cinase que está ligado a vias de sinalização envolvendo crescimento, migração e desenvolvimento celular. Mutações ativadoras em RET em linhagens de células germinativas são responsáveis pela ativação do receptor independente de interação de ligante e estão associadas à síndrome hereditária autossômica dominante denominada neoplasia endócrina múltipla tipo 2 (MEN 2), que pode ser classificada em três subtipos: MEN 2A, MEN 2B e carcinoma medular de tiróide familiar (FMTC). Recentemente, nosso grupo descreveu uma nova mutação em heterozigose no éxon 8 do gene RET associada a FMTC, que leva à substituição de uma glicina por uma cisteína no códon 533 (G533C). Posteriormente uma integrante da família com FMTC apresentou diagnóstico de feocromocitoma onde foi identificado, além da mutação RET p.G533C, mais duas novas mutações: G548V (éxon 8) e S548T (éxon 9). A ocorrência de feocromocitoma e MTC na presença da mutação G533C também foi encontrada em famílias gregas, gerando evidencias de que esta mutação leva a um fenótipo de MEN 2A. A partir dos dados obtidos recentemente sobre as mutações no éxon 8 e sua relação genótipo-fenótipo, acredita-se que elas sejam mais agressivas e menos raras do que inicialmente se imaginou. Sendo assim, este projeto tem como objetivo geral compreender o papel das mutações no gene RET, identificadas pelo grupo, e associadas à síndrome MEN 2A e investigar, em uma casuística maior, se estas ou outras mutações em RET estão associadas a manifestação do feocromocitoma.