Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação ecotoxicológica e risco ambiental dos inseticidas Diflubenzuron e Temefós para Daphnia magna, Lemna minor e peixes

Processo: 10/19421-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2011
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Toxicologia
Pesquisador responsável:Joaquim Gonçalves Machado Neto
Beneficiário:Carla de Barros Sant Anna
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Riscos ambientais   Ecotoxicologia   Inseticidas

Resumo

O uso dos agrotóxicos Temefós e Diflubenzuron na agricultura, aquicultura e combate a vetores de doenças pode acarretar desequilíbrios ambientais, e a ocorrência destes efeitos são analisados por estudos ecotoxicológicos e avaliações de risco ambiental. O presente trabalho tem como objetivos: I) determinar a toxicidade aguda e crônica dos agrotóxicos Diflubenzuron e Temefós, na presença e ausência de sedimento, para o microcrustáceo Daphnia magna, os peixes tilápia (Oreochromis sp) e mato grosso (Hyphessobrycon eques) e para a macrófita Lemna minor; II) avaliar a concentração de resíduos nas águas dos testes de toxicidade crônica e III) classificar os agrotóxicos quanto ao risco ambiental em ecossistema aquático. Para os testes de toxicidade aguda será determinada a concentração letal média (CL50) para L. minor, P. mesopotamicus e H. eques e concentração efetiva média (CE50) para D. magna em condições de laboratório. Para os testes crônicos, serão avaliados longevidade, crescimento e fecundidade de D. magna, taxa de crescimento relativa de L. minor, e longevidade e crescimento de P. mesopotamicus e H. eques. Durante os períodos experimentais serão registradas as variáveis físico-químicas da água (pH, oxigênio dissolvido, temperatura e condutividade elétrica). Os valores encontrados serão utilizados para classificar os agrotóxicos quanto ao potencial tóxico para estas espécies. Será calculado o risco de intoxicação ambiental por meio do método do quociente (Q). Também serão obtidos os valores da concentração de efeito não observado (CENO), concentração de efeito observado (CEO), e valor crônico (VC). Para análise de resíduos dos agrotóxicos na água, amostras de água serão coletadas dos testes de P. mesopotamicus e determinada por cromatografia líquida de alta eficiência (CLAE), utilizando-se um sistema cromatográfico equipado com detector ultravioleta e loop de 20 ¼L. (AU)