Busca avançada
Ano de início
Entree

Capitalismo de estado e mundo administrado: um estudo sobre a influência de Friedrich Pollock no diagnóstico de tempo de Max Horkheimer e Theodor W. Adorno na Dialética do Esclarecimento

Processo: 10/16984-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2011
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia - História da Filosofia
Pesquisador responsável:Marcos Severino Nobre
Beneficiário:Paulo Henrique Yamawake
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Razão instrumental   Teoria crítica

Resumo

O tema desta pesquisa será a comparação entre dois diagnósticos de tempo fundamentais no âmbito da Teoria Crítica, a saber: o diagnóstico de Friedrich Pollock - centrado no conceito de capitalismo de estado - e o de Max Horkheimer e Theodor W. Adorno - centrado no conceito de mundo administrado, tal como formulado, sobretudo, na obra Dialética do Esclarecimento (1947). Tal comparação terá como objetivo investigar a influência de Pollock sobre Horkheimer e Adorno - bem como os limites dessa influência -, para obter uma compreensão mais aprofundada da Dialética do Esclarecimento. Mediante uma análise comparativa entre textos de Pollock com a referida obra de Horkheimer e Adorno, a pesquisa pretende verificar a seguinte hipótese: ambos os diagnósticos convergem no que diz respeito às constatações das então recentes transformações do capitalismo, mas divergem entre si quanto às interpretações dessas transformações. Ora, de um lado, os argumentos de Horkheimer e Adorno convergiriam com os de Pollock na medida em que consideram que o centro da organização social na nova ordem do capitalismo não mais seria a esfera econômica, de modo que o capitalismo teria deixado para trás a sua fase liberal. As divergências, por sua vez, residiriam no fato de que Pollock constata na primazia da esfera política o centro do capitalismo de estado, de maneira que decisões políticas estariam por trás da "racionalização" da sociedade e das formas de dominação social. Só que a novidade que o diagnóstico de tempo da Dialética do Esclarecimento apresenta é a de que ela encontraria na própria lógica da razão - representada na obra pelo conceito de esclarecimento (Aufklärung) - o elemento que organiza a sociedade e que exerce a dominação sobre os homens, independentemente de uma orientação política ou de qualquer instância social em específico.