Busca avançada
Ano de início
Entree

Economia de corrida e força muscular: uma relação com o polimorfismo R577X do gene ACTN3

Processo: 10/13913-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2011
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Rômulo Cássio de Moraes Bertuzzi
Beneficiário:Leonardo Alves Pasqua
Instituição-sede: Escola de Educação Física e Esporte (EEFE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Corridas   Capacidade aeróbica   Força muscular   Genética   Polimorfismo genético   Alelos

Resumo

Estudos recentes indicam que a economia de corrida (EC) é um dos principais preditores de desempenho em provas de longa duração. Além disso, a EC tem apresentado relação com a força muscular, a qual pode ser influenciada por fatores genéticos. Isso pôde ser evidenciado através de estudos que observaram influência hereditária em tarefas relacionadas à força e potência muscular. Dentre os diversos genes relacionados ao desempenho esportivo na literatura científica, está o ACTN3, que codifica a ±-actinina-3, uma proteína estrutural das fibras do tipo II do músculo esquelético. Evidências apontam para uma relação entre o alelo R do polimorfismo do gene ACTN3 e a capacidade de produção de força, através da análise de atletas de modalidades com diferentes demandas metabólicas. Consequentemente, parece plausível verificar se a relação entre a EC e a força muscular pode ser dependente do polimorfismo R77X do gene ACTN3. A nossa hipótese é que as maiores frequências do alelo R estarão relacionadas à maior capacidade de produção de força e, consequentemente, a maiores valores de EC. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.